27 julho 2009

Massacre alviverde


É preciso dar às coisas o peso que elas têm, e a mais recente vitória palmeirense sobre o seu maior rival foi isso mesmo: um massacre.

Porque parecia, vez ou outra, que tínhamos só uma equipe dentro de campo. Porque vieram os três gols e mais duas bolas foram parar no fundo da rede, todas saídas dos pés do renegado e desacreditado Obina*. É dessas coisas que só acontecem em um Palmeiras x Corinthians. E foi um massacre também porque tivemos uma bola na trave, outros tantos lances perigosos e um controle do jogo que não é exatamente comum na história do clássico.

Poderíamos parar nisso, ficando a supremacia restrita ao que aconteceu dentro de campo, à ampliação da vantagem histórica ou ao recente tabu que é ainda mais notável pela ausência de gols da gambazada e pelas vitórias quase sempre contundentes. Poderia. Mas houve ainda o massacre na arquibancada (no bom sentido).




Assim como em 2004, quando também houve uma disputa prévia entre as torcidas, vencemos novamente. Mas desta vez houve mesmo um massacre, um pouco pelo que fizemos e outro tanto pelo que deixaram de fazer os nossos rivais. Parecia que eles nem estavam muito preocupados, visto que a Mancha até poupou algumas surpresas no segundo tempo.



Festa bonita mesmo, e as imagens contam mais do que qualquer descrição que eu possa fazer. Foi realmente uma tarde inesquecível, ainda que sob chuva fina e mesmo respirando os ares nada convidativos da maldita Presidente Prudente/MS. Pois é, volto ao tema porque a escolha desta cidade revelou-se novamente equivocada e porque eu tomei isso como questão de honra. Virou um princípio, e eu vou insistir o tanto quanto puder.

Fato é, meus caros, que tivemos ontem menos de 30 mil pagantes no Prudentão, público que caberia com folga no Pacaembu e que, vejam só, é pouco superior ao que podemos receber no Palestra Itália. Teve o Palmeiras, por conta de problemas com o precário aeroporto local, de viajar 600km de ônibus. Sorte igual não tiveram alguns amigos meus, que passaram o final de semana voando por três estados diferentes, saindo de São Paulo e passando a noite no Paraná antes de chegar àquele inóspito pedaço do Mato Grosso do Sul.

Presidente Prudente/MS é uma localidade, digamos, pouco privilegiada em termos de logística, e eu já nem sei responder se é pior chegar até lá de avião (como fui no Paulista) ou de carro (como ontem). Se por um lado perde-se um dia inteiro na estrada e as condições viárias deixam a desejar, por outro os vôos têm preços elevados e horários esdrúxulos. E, numa dessas, a cidade pode ficar sem teto. O esforço, que beira a insanidade, só é válido mesmo porque o Palmeiras vai a campo. Vale a pena, repito, mas não é justo.

Assim, volto a pedir aos dirigentes dos dois clubes, em especial aos do Palmeiras, o mandante do próximo jogo: respeitem a história do clássico, por favor! Respeitem as duas torcidas! Respeitem a cidade de São Paulo! Chega desta merda de Presidente Prudente!



***

*Aproveito o momento para pedir desculpas: se não acreditei lá atrás na contratação de Obina e se até mesmo protestei (embora não aqui) contra a decisão da diretoria palmeirense, eis que ontem ele calou a minha boca. E se tanto pude comemorar na arquibancada do Prudentão, é justo agora reconhecer o meu erro e agradecer a Obina e à nossa diretoria. Obrigado!

*Tinha água potável ontem em Prudente, talvez em resposta à reclamação que eu fiz aqui antes do jogo. A R$ 3, é bem verdade, mas tinha. Acontece que sobrou água caindo do céu e aí a pintura da arquibancada, bastante recente e sabe-se lá com que tipo de produto, espalhou-se por todos os cantos, deixando tênis, calças e camisas com as cores azuis (do nosso lado) ou amarela (do lado dos gambás).

*Registro também o meu agradecimento a Jorginho, que teria encerrado sua participação de maneira invicta se não fosse pela interferência do pobre diabo que apitou o jogo da última quarta. Valeu, Jorginho! Seja bem-vindo, Muricy!

*Que falta fazem as bandeiras...



21 comentários:

Claudio Yida Jr disse...

Estão lá os selos no meu blogue. Dia 01 de novembro tão dizendo que vai ser em Rio Preto. Menos ruim, e é no meio do feriado...

Agradeço a carona da família Barneschi, apesar de ter certeza de que isso também influenciou no resultado. Trata de mandar a conta pra eu não ter que ficar escutando, além das gozações e da exaltação dessa merda de jogo, que corinthiano é trombadinha hahahahahahhaa...

Merda de lugar filho da puta!

rodrigo disse...

Do caralho o jogo, valeu cada minuto perdido pra chegar na roça.

luiz - uberlândia disse...

primeiramente obrigado ao Meu Senhor Meu Deus por mais essa vitória acachapante.

devo agradecer também ao sr. wanderley luxemburgo da silva por ter bancado a contratação do desacreditado Obina, jovem centroavante esforçadíssimo que estava descreditado e alvo de gozações num time carioca.

OBRIGADO, MUITO OBRIGADO À SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS, esse Gigante que mais uma vez destruiu a trazeira, o rabo, o fiofó (3 sinônimos, tá bão..) desses favelados, imbecis e desqualificados (Só 3 sinônimos...?!) dessas porras (L. F. Sco..) de CUrintias.

Favoritismo não se compra.. se conquista.

luiz, Uberlândia

Anônimo disse...

O texto ficou otimo, mas so pra constar, Presidente Prudente fica no estado de Sao Paulo, e nao no meu querido e amado Mato Grosso do Sul.... abraco a todos.

Daniel disse...

porra sennsacional o post... tava esperado por ele o dia tood... huahuahuahua.... vc precisa ser mais rapido
abs e chupa gambaaaaa

Pedro Pellegrino disse...

Barneschi, você já deve ter visto mas esse vídeo aqui também é animal que nem esse que você publicou http://www.youtube.com/watch?v=N4XWjfbp4P8&feature=player_embedded

Fernando Kamers disse...

Fantástico!

Roberto Kamarad disse...

Sensacional!!!

Somos dois cara. O Obina também queimou minha lingua (graças a Deus).

Também estava dando F5 aqui no Forza... rsrs

Valeu pelas fotos, estão incríveis. Me senti em Prudente. A dor foi grande de não poder ter ido, mas enfim.

Dá uma passada no V.O.

Depois preciso saber das histórias, extra campo! rsrs

Abraços, mano!

Vitor MV disse...

Ahh chupa freguês, dentro de campo e fora dele também..hehee
Belo Post Barneschi, e por falar em bandeiras, já pensou se elas estivessem no clássico? Iria ser uma festa ainda mais fantástica.No mais concordo, clássico em PP NÃO!! E aquela cidade definitivamente não está situada no estado de SÃO PAULO.

*Grande Obina

Abs,

Irineu Constantino disse...

"Palmeiras continua invicto em Prudente". Obrigado por nos representar com tanta vibração, garra e muita luta nas arquibancadas de todo mundo. Sinto-me ainda mais orgulhoso de ser palmeirense quando leio seus textos - ainda que discorde de alguns pontos de vista - e aprecio, comovido, as fotos. Cante e vibre por nós, pois estaremos do lado de cá sempre ao seu lado.
Parabéns por ser esse Palmeirense que eu sempre quis ser.

Nicola disse...

Sensacional mano, valeu pelo post, porque infelizmente não pude ir ao jogo graças a esses filhos da puta que pensam que "futebol é buziness".

Quem dera se voltassem as bandeiras, num jogo como o de amanhã, que perigo poderiam oferecer? É muita sacanagem...

Xadrezderua disse...

SENHORES MEMBROS DESSE MAGNÂNIMO BLOG.

Não possuo procuração do Barneschi para a devida defesa, porém devo dizer:

EXISTE APENAS IRONIA NO CULTÍSSIMO AUTOR DO BLOG, QUANDO SE REFERE A PRESIDENTE PRUDENTE COMO SENDO CIDADE DO ESTADO DE MATOGRO GROSSO DO SUL...

Grato pela compreensão...

Marcelo Contini disse...

Fala Barneschi!
Nada como vencer o rival com autoridade e superando todo o tipo de dificuldando dentro de campo!
O Sr. Gaciba tentou de todas as formas dificultar isso, mas "Aqui é Palmeiras!" e, se quisermos ganhar o campeonato, terá que ser do jeito que foi contra o SCCP: jogando contra o time e contra a arbitragem!
Vitória incontestável, da superioridade durante todos os 90min. no campo e na arquibancada!

PS: Acho que já tá bom de pegar no pé do pessoal do MS, heim?! Td bem que Presidente Prudente é distante da capital, mas não precisa dar uma conotação de isolamento ao lugar e vincular ele ao MS!
Aliás, seria ótimo um jogo do Verdão em Campo Grande/MS nesse BR/09 (não um derby). Vc não ia se arrepender de conhece-la, bem como cidades como Jardim, Bonito, Corumbá!
Abraço!

Sandro - Salvador-BA disse...

Quero partilhar minha história. Estive a semena passada inteira fora do país. Tenso. Todos os dias acessando a mídia palestrina (vejam os acessos a partir de Santo Domingo). O vôo de volta entre S. Domingo e Miami foi bem na hora do jogo. Evidentemente que mal consegui relaxar durante a viagem. Na medida que sobrevoava as ilhas do caribe ficava imaginando o que estava se sucedendo na inóspita Prudente. O que estaria dizendo Neto e Godoy? Qual seria o esquema de jogo do Plameiras com o bafo quente de Muricy na nuca de Jorginho.
Chegando naquela terra de cubanos exilados para pegar minha conexão para Salvador, ligo para minha mulher e pergunto sobre o resultado do jogo. Ela se indispõe, afirmando: não acredito que você me ligou pra isso.
Você não sabe o que é o Derby, minha cara - respondo.
Momentos de tensão......Ela diz, o Palmeiras ganhou de 3 a zero. Urros não compreendidos pelas pessoas que estavam ao redor do telefone público.
Agoniado, comprei um acesso a Internet por 8 dólares. Meu vôo atrasou e pela primeira vez fiquei feliz em espear quase quatro horas no saguão do aeroporto, afinal poderia ver os gols da rodada, ouvir a repercussão nas rádios, enfim, poderia desfrutar daquele sentimento máximo, somente comparado a um orgasmo tântrico.
O vôo entre Miami e Salvador foi embalado por duas garrafinhas de vinho, daquelas que a gente tem que comprar quando transportado feito gado pela AA. Risos fáceis e uma felicidade incompreendida pelos passageiros a meu lado.
Porra, ganhamos a batalha das batalhas e com três gols de Obina. Impossível não se lembrar dos três gols de Magrão, numa outra tarde de domingo, tempos atrás.

E o choro dos gambás? Logo eles, sempre beneficiados pela arbitragem. Pobres brasiliense, inter em 2005 e vasco em 2009.
De volta a Salvador, a segunda foi marcada por intermináveis programas esportivos e visitas aos blogs rivais, onde a ladainha da arbitragem persistia.

Enfim, como é bom ser palmeirense.

Abraço,
Sandro - Salvador-Ba

Anônimo disse...

hahahahhaha
gambazada filha da puta
é nóis
Obina
três obinadas no gordo
as últimas 3 obinadas nele tiveram consequências graves
Te amo Verdão!!


Parmera
Arrigo

marcelo_geral disse...

Essa porra é freguês até em bocha

Nicola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nicola disse...

Bandeiras podem voltar aos estádios de São Paulo

BAMBIPRESS!

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e da Assembléia Legislativa, Barros Munhoz, estão negociando a volta das bandeiras aos estádios de São Paulo. A prática foi proibida por uma lei estadual de 1996, na esteira da briga entre torcedores do São Paulo e Palmeiras no ano anterior.


Tomara... Parabéns ao presidente gambá pela iniciativa.

Anderson Ugiette disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anderson Ugiette disse...

saco!!! eu postei a parada sem ler... fiquei euforico com a ideia de alguem questionar o mar de rosas(rosas!!!) dos bambis.... mals barney!

chico disse...

chupaaaaa gambazada do baralhoooo
freguess do verdaoo