11 agosto 2013

Artigo 1º























Quis o futebol que fosse do camisa 11 o gol que selou a vitória do Palmeiras em sua partida mais difícil em todas as 14 rodadas da Série B até o momento (em Recife, não houve jogo e fomos roubados; em Itu, contra o América/MG, foi um tropeço). O gol do camisa 11 é daquelas coisas que acontecem apenas e tão somente para evidenciar o quanto estão errados os que ousam questionar a vocação da Sociedade Esportiva Palmeiras - e aqui empresto um raciocínio que originalmente é do meu grande amigo Fernando Galuppo: "uma entidade civil de caráter desportivo, com personalidade jurídica de direito privado, sem fins econômicos lucrativos".

Isso não saiu da cabeça do Galuppo - nem da minha; isso é parte do artigo 1º do Estatuto Social da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Sim, dirão alguns, não sem razão, que trata-se de um instrumento jurídico e que a expressão "sem fins econômicos lucrativos" se faz presente nos estatutos sociais de praticamente todos os clubes brasileiros - e de outras entidades também. Sim, eu sei disso; mas eu prefiro me apegar ao que existe de essencial no estatuto - que talvez não seja tão bem conhecido por uns e outros.

Porque um clube de futebol não é regido (ou não deveria ser) por raciocínios mesquinhos. Menos ainda se for este clube o gigante Campeão do Século XX, dono de uma torcida como a nossa.

Quando se trata de Palmeiras, o mínimo que deve existir é respeito à instituição. E há certas situações que, para além de fechar contas, devem ser entendidas pelo prisma da soberania. Por soberania, meus caros, entendam a necessidade de se respeitar a ordem estabelecida e o tamanho da Sociedade Esportiva Palmeiras. Não se trata de uma análise deste ou daquele jogador, tampouco de questões técnicas ou táticas; o que está em debate é a necessidade de se colocar o Palmeiras não como um mero entreposto, mas como o gigante que ele é. Deixar de lado tal premissa, permitindo investidas como esta de clubes menores, representa uma perigosa renúncia à nossa vocação.

###

_Sejamos claros: este Palmeiras 2-1 Paraná Clube/PR era o típico jogo para um tropeço em casa. Primeiro porque tratava-se de um rival perigoso, com defesa consistente, sem perder há um bom tempo, bem armado, com um técnico (muito) novo etc. e tal. Daí vem um gol contra no primeiro tempo e o time se abate. Parecia difícil encontrar a reação. Mas ela veio na etapa final - e em grande estilo. Foi uma daquelas vitórias que se arranca um pouco na base da força e da pressão e outro tanto no peso que só pode ter um time grande na sua casa. O Palmeiras avançou, acuou o pequeno Paraná e seguiu trilhando o seu caminho inabalável de volta ao lugar de onde nunca deveria ter saído. Foi, enfim, uma vitória grandiosa, daquelas que tantas e tantas vezes vivemos no bom e velho Palestra Italia.

_Se há um lado bom na Série B, ele seria o fato de podermos novamente entrar em campo no sábado às 16h (ou, vá lá, 20 minutos depois). É um horário que foi abolido nos jogos da divisão principal e que pode ser revivido ao menos agora em 2013.

_Bastou isso, por sinal, para praticamente chegarmos à barreira dos 30 mil torcedores. Foi o recorde do Palmeiras em jogos da Série B, uma vez que o maior público em 2003 foi de 28.486 pagantes contra o Marília/SP (2-0) em um sábado à noite.

_A presepada armada pela trupe de imbecis do SporTV (vejam aqui) é daquelas coisas que escancaram o baixo nível da nossa imprensa esportiva. É de uma indigência intelectual que só pode mesmo encontrar algum respaldo na mente doentia de um canalha da família Zveiter. Já tem muita gente se dispondo a falar sobre o assunto por aí, mas, por ora, eu vou preservar a minha sanidade.

###

Atualizando alguns números:

-Palmeiras no Pacaembu em 2013
19 jogos
14 vitórias
3 empates
2 derrotas
38 gols pró
14 gols contra
Público médio: 16.005 pagantes

-Palmeiras na Série B/2013
14 jogos
11 vitórias
1 empate (roubado!)
2 derrotas (1 delas roubada!)
30 gols pró
10 gols contra

-Palmeiras no Pacaembu na Série B/2013
Palmeiras 4-1 ABC/RN - 22.488 (sexta, 21h)
Palmeiras 4-0 Icasa/CE - 12.890 (terça, 21h50)
Palmeiras 2-1 Bragantino/SP - 20.604 (sexta, 19h30)
Palmeiras 2-1 Paraná Clube/PR - 29.012 (sábado, 16h20)

###

A foto que abre o post é do Gabriel Santoro.

19 comentários:

Felipe Teodoro da Silva disse...

Barneschi, agora entendo o apelo lançado para abaixar o preço dos ingressos. Pois, a torcida ontem foi a pior que ja vi, nao sei se por acharem que estavam à frente da tv ou no teatro ou pelo fato de bateria nao estar la para dar uma força maior.

Outro ponto, se aquele imbecil emprestar o Wesley descobrirei o email ou o que for daquele merda e nao pararei de infernizar a vida dele, nao se trata o SEP desta forma, pois, quem é C.AM perto do Campeão do sec XX e Rei do Brasil?

Anônimo disse...

po cara

tu ta reclamando só por que agora o jogo é 20 minutos a mais do que o habitual

indubtavelmente, melancolicamente voce e muito chato cara

reclamar disso ai também é demais viu

CIOL, Felipe disse...

Meu amigo, sobre o episodio do camisa 10 e aquele vagabundo do Rizek fazendo o que fez, penso se não é hora de, pelo menos uma vez, toda a mídia palestrina se juntar e expor todos esses fatos que só valem contra nós... está cada vez pior, e não muda.

Eu assisti essa merda de sportv ao vivo ontem e quase quebrei a tv de raiva...

Anônimo disse...

Nice! I just got 4000 Microsoft Points for FREE! :D http://linkbitty.com/MSPFree

Anônimo disse...

Belo texto, meu caro Barneschi. Permita-me comentar que, ao contrário de alguns comentários que já li, acho que a festa de ontem foi bonita. Há torcedores de todos os tipos, do mais participativos, apaixonados, divertidos até os chatos, corneteiros e bissextos! Fazer o quê? Isso é assim em qualquer lugar do mundo, em qualquer ajuntamento humano. Vi pelo melhor lado: a festa foi bonita, pá! Precisamos ser tolerantes e não querer excluir os que não são iguais a nós! Mas, essa observação nada tem a ver com o O seu texto que é irretocável! Estão fazendo "conta de padaria". Vi o PVC falando que o objetivo da diretoria era economizar R#1 milhão/mês na folha salarial. Já chegaram aos R$600 mil, Uma vez que o 11 ganha R$350 mil, o empréstimo dele faria com que esse objetivo financeiros fosse atingido facilmente! Não levam em conta a o gigantismo da SEP, a história, as tradições, a questão do imponderável, da paixão, do emocional, da auto-estima, da identificação e vai por aí! Fazer esse tipo de negócio é impor ao torcedor um sofrimento adicional a todos os mal-tratos desse últimos anos! A gloriosa SEP não pode ser administrada como uma loja de sapatos! Espero que repensem a tempo e não levem a cabo tamanha estupidez. O 11 está feliz no Palmeiras, precisamos, desde já, formar a base de um grande time que disputará os torneios no Ano do Centenário! Não se pode pensar/agir como um time pequeno! Forza, avanti Palestra!

Anônimo disse...

Em tempo: a palhaçada protagonizada pelo jornalista stripper e seu companheiro de bancada é um dos debates mais ridículos, tendenciosos e abjetos já vistos em programas esportivos nos últimos tempos. Há clara perseguição à SEP e ao chileno! Os sujeitos não suportam o nosso 10 pois acham que ele joga com "um sorriso irônico nos lábios" que irrita não apenas os adversários mas também o juiz! Por quê não fazem campanha pedindo punições para lances de clara violência gratuita que, muitas vezes, não são punidos com cartão de qualquer cor! Hipócritas. Na falta de notícias, de inteligência, de informação de qualidade e de um mínimo de ética optam por criar factóides contra o Palmeiras! Palhaços!

Nicola disse...

É claro que não é hora pra se desfazer do Wesley, mas porra, e o Patrick Vieira, que joga muito mais que ele e foi emprestado?

Mas que seja, já foi... Depois dessa cagada, a permanência do Wesley é obrigação. Assim como é obrigação passar pelo Atlético-PR e pelo Inter. E chegando na semifinal contra os gambás, é que o presidente vai mostrar se é palmeirense ou não, botando o nosso mando no Morumbi (onde sempre ganhamos dos caras).

Em 2011 o Felipão queria que a semi do Paulista fosse lá, e ficou provado que a diretoria (na época) SE VENDEU para os gambás.

Mas sinceramente? Vão acabar vendendo o Wesley e não passamos nem do Inter. Que o Nobre cale minha boca...

Leonardo disse...

Bela vitória do Palmeiras em uma agradável tarde no Pacaembu. O público foi muito bom, mas os ingressos seguem a preços elevados e R$40 não é preço para a Arquibancada.

Quanto ao público que compareceu, é impossível notar a diferença de comportamento, mas estes torcedores são extremamente importantes e o Palmeiras precisa da massa, precisa deste torcedor ao seu lado. Somos todos palmeirenses e ver o Pacaembu com casa cheia desta forma é maravilhoso.

Leonardo Nakamura

Bruno Bernardo disse...

Engraçado que os mesmos jornalistas, defensores do jogo limpo, ética, seja lá o que for chamar, se calam diante de uma copa do mundo que torra o dinheiro do povo, se cala diante de inumeros elefantes brancos, e se cala diante de uma obra de caráter politico apenas, no fim de São Paulo (itaquera).

Rafael disse...

Nicola,

discordo totalmente cara, Morumbi é o caralho, é a casa do inimigo e jamais deveremos voltar lá, a não ser como visitante.

Esse seu pensamento é de quem acha que a SEP precisa temer algo.

Não escolhemos o Pacaembu como nossa casa? Então que seja lá para o que der e vier. Até o Palestra voltar no ano que vem.

Jogar contra eles em qualquer outro estádio será um gesto de apequenamento diante do maior rival. Para mim será dizer que eles são melhores do que nós em condições iguais. Sim, são condições iguais o que temos hoje. O que aconteceu antes de tomarmos a punição no BR2012 e a torcida empurrando o time na libertadores 2013 são exemplos de que não há mais como questionar o Pacaembu como nossa casa temporária.

Os jogos do ano passado contra eles perdemos pq não tinhamos time, ao contrário deles. Simples assim.

E no ano anterior, mesmo com um a menos, jogamos melhor e foi para os pênaltis.

Repito: sair do Pacaembu se o jogo for contra eles vai ser o maior gesto de apequenamento diante do rival. Eu não aceito isso jamais.

claudio longo disse...

Boa tarde a todos, Barneschi desde já comentarei seu texto no FAMIGLIA PALESTRA, que ilustra seu distinto pensamento, que de maneira clara , mostra a todos, que no 21 de Janeiro deste ano, fomos mais uma vez ludibriados, pela eleição de mais uma figura inexpressiva , que perante a dificuldades busca soluções medíocres, com alicerces do luciferiano MUMU, que ainda determina posturas, atitudes, e ações , vergonhosas a uma entidade, que além de grande, fortalece seu patrimônio , com um empreendimento que proporcionara, receitas infindáveis, desde que não tenhamos a visão míope, de calhordas mantendo defesa dos almofadinhas , pelo simples fato do status quo, deliberado estatutariamente , sem coragem e capacidade alguma em propor alternativas inteligentes , que pioneiras fariam do Palmeiras uma potencia além do imaginável, mas ser rotulado capaz e profissional, não conduz ou condiz a nossa realidade, muito nebulosa, com sorrisos, do luciferiano MUMU, que sempre esta presente , perante aos advogados da aliança, que manterá o Palmeiras no marasmo como coadjuvante das competições há frente por um período ainda não definido!

Felipe Teodoro da Silva disse...

Sera que eu fui no mesmo jogo que as pessoas ques disseram que a torcida foi fantastica no ultimo jogo? Pois, uma torcida fantastica não vaia seu time no começo do jogo por estar jogando mal ou nem termina de cantar o ano.

Obs: Estou considerando torcedor aquele que esta na arquibancada apoiando a SEP e nao aquele que senta a bunda no cimento ou na cadeira ou que canta antes de jogo começar. Antes que me critiquem, esta é minha opinião e nao uma imposiçao sobre algum assunto.

Washington Cruz disse...

Batemos recorde na renda também, primeiro jogo da série b 2.013 com renda superior a 1 milhão. R$ 1.015.880,00 pra ser mais preciso...

Anônimo disse...

É realmente muito bom ver o Pacaembu lotado, como sempre deve estar. Sempre fico na arquibancada, mas dessa vez tive alguns problemas e precisei ficar no tobogã, e presenciei um momento onde um grande otário aproveitou de um silêncio e começou gritar mandando as pessoas sentarem, e logo rebateram: "quer sentar vai pro seu sofá" "quer sentar compra cadeira da próxima vez", e como se não bastasse, quando a maioria das pessoas se sentaram na hora do intervalo, ele abriu sua boca novamente pedindo para as pessoas levantarem já que elas queriam ficar de pé, a ainda completou com um "fazem tudo ao contrario, bando de burro". Essa criatura nem com a camisa do Palmeiras estava, lamentável.

Fernando Galuppo disse...

Caro Palestrino,

Quando um presidente vem a publico e diz que o compromisso dele É SÓ com as contas do clube, ele rasga o estatuto e dá um tapa na cara de todos aqueles que tem alguma atração pela magia do esporte e o que ele pode proporcionar.

Essa gestão não tem nenhum compromisso com o esporte. Veja as atitudes que os pautam. O compromisso deles é com a grana. A NOSSA GRANA!!! E só.

Para muitos, somos os líderes da B. Mas para mim, somos apenas o 21º da A. Não me iludo.

E novamente, como foi feito com a Libertadores, entraremos derrotados na Copa do Brasil, por conta da falta de ambição e medo de competir de alguns que nos comandam...

Enquanto vivermos de planilhas frias guiando nossos destinos, momentos como os de sábado serão cada vez mais raros. Pois, ao que me parece, vencer e ter talento no Palmeiras atual é sinonimo de ultraje.

Para os que lá estão mais vale um "timeco" dentro da folha de pagamento "boa e barata" do que um esquadrão que nos encante.

Abraços
Fernando Galuppo
PS: Por que o nosso presidente não fala mais aquela idiotice que o time é "sangue na veia"?

turiassu disse...

Esses "jornalistas" e similares que se metem a falar de futebol, só fazem o que fazem porque sempre acham quem lhes dê audiência. Se não houver audiência, mais cedo ou mais tarde essa nojeira toda acaba.

Luiz Fernando Sanchez disse...

Por incrível que pareça o Leifert e o Caio acharam ridícula a possibilidade de punição ao chileno,ponto pra eles!(nunca imaginei que diria isso)

Raul Martins Dias disse...

Tenho notado o poder de reação desse time. Em três semanas, três jogos vencidos após estar atrás no marcador (Figueirense, São Caetano e Paraná).

Quantos jogos havíamos ganho de virada nos últimos anos? Pouquíssimos, a capacidade do time de reagir em uma situação adversa era praticamente nula.

Abner Becca disse...

Barneschi, permita-me divulgar aqui, um blog que criei para falar de Palmeiras.

Visitem e critiquem. O primeiro texto publicado foi hoje.


http://palmeiraseoutrascoisas.blogspot.com.br/