16 agosto 2013

Miopia (ou coisa pior)

Não se confere publicidade só a coisas boas. Há as ruins que merecem ser expostas para que se dê o devido destaque aos responsáveis. É o caso, por exemplo, de um certo Amir Somoggi, a quem o diário Lance! dá guarida em um fórum que se pretende "acadêmico". Pois que o nobre "consultor de marketing e gestor esportivo", do alto de toda a sua experiência fora dos estádios, cometeu o texto que segue linkado abaixo (com a frase que resume o todo): 

"Quando o preço cai muito, o nível do torcedor que vai ao estádio é muito pior"

É um pouco de tudo: é higienista, é elitista, é preconceituoso, é tacanho, é deplorável sob qualquer ponto de vista.

Não vou, no entanto, me ater a tal figura, também porque já se dedicaram a isso ontem pessoas de nível muito mais elevado e que vivem o futebol tanto quanto eu. Apenas faço a ressalva de que são cúmplices desse certo consultor todos aqueles que compactuam com qualquer medida elitista, com o Padrão Fifa, com o marketing predatório no futebol e que tais.

Escrevo esse post apenas para fazer o registro de que há, em nossas fileiras, quem pense como o distinto consultor. Há quem pense que nossa torcida seria melhor se restrita ficasse aos limites do centro expandido desta metrópole. Melhor ainda se a concentração se limitasse a Perdizes, Pompéia, Barra Funda, Lapa e Sumaré, com todos felizes por poder pagar a fortuna exigida pela diretoria que aí está: "O Palmeiras precisa de dinheiro", dirão, acreditando que a melhor saída é a política excludente.

Não percebem os ilustres torcedores da zona oeste que é essa política excludente um dos fatores que acabaram por fazer a torcida do Palmeiras deixar de ser a segunda maior torcida de SP para ser a terceira. Perdemos essa condição também porque o clube apostou - e aposta agora, mais do que nunca - em uma estratégia que apenas restringe o acesso do público, colocando uma nota de corte altíssima. Para os que desejam a "qualificação do público", é uma ótima pedida.

Pois é então que chego ao ponto final, que consiste em expor - como se necessário fosse - a indigência mental de uns e outros que se dispuseram a refutar este post aqui com a frágil argumentação de que eu não poderia "elogiar" uma atitude do mandatário leonor.

Ora, ora, não há na comparação que eu proponho qualquer vestígio de elogio à medida leonor - ainda que eu concorde com ela. Há, pura e simplesmente, uma contraposição de dois números que, por serem tão discrepantes e logo envolvendo um adversário coincidente, explicitam a oposição entre a política excludente de um clube que sempre foi "de massa" e a política de inclusão do clube "da elite".

Não, não sejam desonestos comigo e com a discussão ora em curso. Antes de tudo, procurem se informar. Para derrubar a babaquice recorrente ("Os bambis só estão fazendo isso agora porque estão em crise..."), apresento aos senhores ao menos dois posts anteriormente publicados neste blog que demonstram o quanto o outrora elitista SPFW adotou uma nova diretriz já há alguns anos.

-Este aqui é de 2009 e mostra a diretoria do time que era então o tricampeão nacional lançando um pacote de ingressos que permitia ao torcedor pagar R$ 9,60 pela arquibancada - contra R$ 40 no Palestra.

-Este outro, de 2012, explicita uma estratégia simples, buscando a ocupação de um setor do Jd. Leonor que poderia ser equiparado ao tobogã. É um post bastante necessário para se entender em um contexto mais amplo todas as implicações de se abrir as portas para um público "menos privilegiado". Uma frase de Roberto Natel (sim, Natel!), dirigente leonor, resume tudo: “Queremos com isso oferecer a possibilidade de que o torcedor de baixa renda, que não tem a possibilidade de assistir a um jogo do São Paulo, possa comparecer ao Morumbi e ver todas as partidas."

Enquanto isso, senhores, o antes popular Palmeiras dispensa o povão. O recado é claro: "Se tem dinheiro, você pode ir ao estádio; se não, você pode escolher outro time para torcer".

No final, o Palmeiras é que vai pagar a conta.

24 comentários:

Léo disse...

Só para efeito de comparação, hoje é sexta e ainda tem arquibancada para o jogo de amanhã, semana passada foi como mesmo?

Quanto a atitude das meninas do Jd. Leonor, embora eu ache uma ação um pouco(ou muito)populista por parte do presidente delas, ainda assim acho que o preço do ingresso foi um sinal de respeito com o torcedor pelo futebol apresentado.

abraço

acreano disse...

pois é....
e nas redes sociais choveu de torcedor ironizando essa ação da diretoria dos bambis....
queria eu que a nossa tivesse feito isso ano passado.(com exceção de um jogo ou outro, ex: xpoti)

tivemos quase 30 mil pagantes sábado passado renda de 1 milhão em um jogo de série b!

é pra comemorar?
acho que não, o esforço feito por muitos nós terá um efeito(negativo) que veremos nessas próximas partidas, muitos que gastaram uma grana para ir no sábado passado nao poderão ir nos próximos.

será uma surpresa atingirmos 30 mil nos jogos deste próximo sábado e contra a brisa quarta que vem...


parabéns pelo texto,

forza palestra!

@anakan

Felipe Teodoro da Silva disse...

Acho que os jogos de terça-feira deveriam ser, no mínimo, 50% mais barato que os de sábado. Pois, pessoas como eu que moram na Z.L não iram arriscar a pagar esse altíssimo preço para assistir à Série B às 21:00 e correr o risco de não voltar para casa como acontece em muitos jogos nesse e no outro medíocre horário.
Por essas e outras, que cada dia que passa, mesmo querendo a união de todos dentro da nossa S.E.P(incluindo as T.Os e a política), odeio mais o seguidores do mumu cancerígeno. Exemplo: os senhores PN e JCB. Pois não se trata Palmeiras como eles estão tratando, não somos a merda de uma empresa e sim uma sociedade e devemos valorizar nosso povo, que desde o inicio é pobre, tirando aqueles nojentos torcedores que se instalaram perto da nossa casa e que o tratam como mera moda que vem e vai com auxílio de neojornalista.

Felipe Teodoro da Silva disse...

Acreano,

Concordo contigo. Irei no jogo sábado sozinho, pois meus amigos não têm dinheiro para ir nesse jogo tão aguardado e disputado.

JAPA INTERIOR disse...

Meus amigos, o time do Jd Leonor pode baixar o valor da entrada para R$ 1,00, eles podem, tem dinheiro em caixa sobrando, o Palmeiras não, o Palmeiras esta quebrado, não tem dinheiro nem para pagar pequenas dividas, o "tal do Plauboy" anda fazendo emprestimos bancario com o nome dele, para colocar dinheiro no clube e poder bancar as contas atuais, inclusive salario de jogadores, isso por que para o Palmeiras nenhum banco empresta mais.
Quem não pode ir no campo não vai, e quem pode vai, o Palmeiras precisa hoje é de dinheiro, ta difil de entender isso ?????
Fiquem socio do Avanti, e com r$ 60,00 por mes, vocês vão de graça em todos os jogos do Palmeiras.
Para quem se diz de arquibancada, e não perde um jogo do Palmeiras no estadio, essas reclamações do preço do ingresso são vazias, pois é só fazer a conta.

Rafael Kuvasney Marcolin disse...

JAPA
Não queremos ingresso a R$1,00; Mas também não admitimos ingressos a R$40,00.

Ingressos a R$30,00 é o limite aceitável pra uma arquibancada. E o tobogã deveria ficar nos R$20,00, no máximo. Isso não é um espetáculo de balé, é um jogo de futebol.

Muita gente deixa de ir aos jogos por conta dos preços praticados. Isso é obvio. Elitizar o futebol vai mata-lo aos poucos.

Anônimo disse...

eu fico puto mesmo

quando chega um cidadão num churrasco

e traz só o pão

ai é de foder

JAPA INTERIOR disse...

Rafael, eu concordo com você, nem todos tem essa condição de pagar esse valor, mesmo por que é serie B, mas o Palmeiras hoje não tem condições de "abrir mão" desse preço.
Hoje para o Palmeiras, vale mais o dinheiro proporcionado por essa "eletização/inflação" do que qualquer reclamação dos torcedores que não tem condições de pagar o ingresso cheio, e o pior, não adianta ficar falando mau dos "modinhas do avanti", por que hoje eles são mais importantes para o clube, pois proporcionam dinheiro em caixa todo mes, ao contrario dos torcedores "avulso".
Eu ainda acredito que essa faze vai passar, dai sim, com mais receita/dinheiro em caixa, o Palmeiras poderá competir com o time do povo, subsidiando o valor do ingresso aos torcedores com poucas condições de associar-se ao avanti.
Quando o Palmeiras tiver essa condição, e o preço não baixar, aih sim é motivo de "briga" com a Presidencia.
Abraço.

Anônimo disse...

Tao reclamando de preco e a arena nem ficou pronta, depois que ficar os ingressos serao mais caros ainda! Socio tem 50% de desconto e pago 20$ por mes. O marketing do palmeiras é voltado para o socio torcedor, portanto torne-se um. Concordo que durante a semana os ingressos deveriam ser mais baratos.

Anônimo disse...

Daqui um tempa gente vai ouvir. " Eu queria ser palmerense, mas não tenho dinheiro".

Edu

Leonardo disse...

O mais triste de tudo isso é ver tantos palmeirenses concordarem com o valor dos ingressos e com a imposição do Avanti. O Palmeiras não é uma empresa e, antes de todas as receitas do mundo, o maior patrimônio do Palmeiras são os palmeirenses. Nós não somos consumidores, somos torcedores, porra! E devemos ser respeitados.

Leonardo Nakamura

acreano disse...

POvo chega aqui e acha que a gente ta reclamando do preço do ingresso porque nós mesmo nao queremos pagar. acho que a maioria é sócio como eu e pra gente que vai a todos os jogos é perfeito. ninguém ta reclamando disso.

Só que é bom a gente ter um pouco de noção e saber que 90% dos palmeirenses nao tem dinheiro pra ser sócio torcedor. pensem nisso

Custa colocar, sei lá, 5 mil ingressos a 10 reais?
enfim... sou apenas um torcedor... tem CEO ganhando 200 mil reais por mês para cortar gastos e aumentar preços de ingresso...

amanhã tem verdão, é isso que importa

abraços

@anakan

Raphael disse...

Barneschi, estou fazendo uma pesquisa sobre preços de ingressos em alguns países da América do Sul, então gostaria de sua ajuda.

Você, que pelo que vi já foi na Bolívia, Argentina, Uruguai, e outros países, poderia me dizer quais são os preços dos ingressos nestes países. Principalmente da Argentina.

Abraço e o post, mais uma vez, está fantástico!

César SEP disse...


JAPA INTERIOR

Você defende o seguinte ponto de vista: o Palmeiras precisa urgentemente de dinheiro, e tem o dever de cobrar um preço elevado. OK, mas o que acontecerá depois? Vários clubes estão atolados em dívidas, empréstimos e contas pendentes com patrocinadores e TV. Existem milhares de exemplos que eu posso citar, entre eles, os próprios clubes do RJ. A diretoria do Vasco levantou a hipótese de penhorar São Januário. O Flamengo tem a maior dívida entre os clubes brasileiros, e não pagam ninguém. Elitizaram o Maracanã, cobrando 80, 100 reais em um único ingresso. Estão ganhando dinheiro com a renda dos ingressos? Os recentes públicos no estádio tem sido inferior aos 20 mil. Hoje, nossa torcida lota o Pacaembu porque estamos goleando times medíocres. E quando chegar o momento em que essa boa fase do Palmeiras acabar? Se estivéssemos na série A, estaríamos no meio da tabela, e a média de público nos jogos da SEP no Pacaembu seriam de 15 mil, talvez menos. De uma forma ou de outra, quem sustenta a arquibancada são as pessoas menos privilegiadas, que frequentam o estádio de terça à domingo. As pessoas só irão se associar ao Avanti quando o time estiver na véspera de uma decisão ou quando o time estiver vivendo uma (rara) ótima fase. Isso ficou comprovado ano passado, na véspera do jogo contra o Grêmio na Arena Barueri pela Copa do Brasil, e esse ano contra o Tijuana. A demanda pelo sócio-torcedor no 2º semestre de 2012 e no ínicio desse ano foi pífia. Basta uma sequência de derrotas que os "Avanti's" sumirão. Infelizmente é essa a realidade. Em um futuro próximo, se você não for associado ao Avanti, ficará de fora do estádio. O perfil da maioria dos associados Avanti é esse: entram no estádio para fazerem check-in no Facebook e tirar foto, como disse um torcedor no post passado.

Abraço!

Luiz Fernando Sanchez disse...

O pior é alguns novos grupos políticos surgiram no Palmeiras se dizendo oriundos das arquibancadas,espero que estejam trabalhando em benefício de seus velhos companheiros

Nicola disse...

Palmeiras 3x1 Sport, pelo 2º turno do Brasileiro do ano passado: o Palmeiras ainda lutava contra o rebaixamento, então colocaram a arquibancada a R$20,00.

Palmeiras 1x2 Atlético-GO, pouco depois: o Palmeiras já estava rebaixado para a Série B. Arquibancada a R$30,00.

---

Saiu Tirone, entrou Paulo Nobre. Seis por meia dúzia, dois corinthianos filhos da puta. Sim, gambás, não existe outra explicação... R$40,00 pra ver série B? R$50,00 pra Copa do Brasil que nem na final vamos chegar? Desculpem o pessimismo, mas é verdade (embora eu seja fanático o suficiente pra acreditar no contrário durante os jogos)... Palmeiras, um clube às avessas.

Fabricio disse...

Nao entendo de marketing, nao e minha area. Sou Avanti de 69,00 mesmo morando em outra cidade o que me impede de frequentar o estadio. Associei-me ha mais de ano, por venerar o clube e vislumbrar uma forma de contribuir para seu permanente crescimento, sem falar na sensacao de pertencimento a entidade. Ao que parece e o meu perfil de torcedor - ou comsumidor como diz o Barneschi - e o alvo da gestao Nobre. Infelizmente acho que ele esta equivocado. Sou excecao da excecao. O preco dos ingressos sao extorsivos, ainda mais para uma serie B. Como disse nao sou do marketing, mas acho que melhor forma de alavancar o ST seria abaixar o preco dos ingressos fazendo com que todo jogo houvesse lotacao maxima, de modo que a busca pela maior facilidade, no caso a compra antecipada pelo site, servisse de estimulo para o cara se associar. Preco justo para mim: toboga 10,00; arquibancadas verde e amarela 20,00; arquibancada vermelha 30,00; numerada 50,00 e numerada coberta 100,00. Resultado: estadio lotado; atencao da midia; interesse da TV aberta em passar o jogo, na medida em que a demanda "in loco" e reflexo da demanda dos telespectadores, levando a uma maior atencao de patrocinadores. Talvez esteja viajando, mas e como penso. Parabens Barneschi por mais este lucido post. Abracos a todos.

Fabricio disse...

PS: arquibancada vermelha e o que hoje eles chaman de numerada laranja, mas que sempre foi arquibancada, assim como o setor "cartao de credito" do nosso saudoso Palestra.

Felipe Teodoro da Silva disse...

Fabricio, voce foi perfeito em seu comentario. Mas o CEO e o PN acham que impondo algo ganharão sócios, essa questao é perfeita, pois se o estadio estiver lotado e voce quiser assistir deve se tornar ST. Claro, nao podemos deixar de vender ingresso nas bilheterias, mas em menor numero até um ponto em que os proprios torcedores se sentiram estimulados a se tornarem parte do clube, nao pensando somente em um jogo, mas sim num vasto grupo de oportunidades, como viajens, jogos de basquete, jantares com jogadores e promoçoes de verdade nao essas invençoes maleficas que existem hoje.

César SEP disse...

Dizem que o Internacional tem mais de 100 mil sócios. Quando o Sportv transmite os jogos do Inter na TV, ou quando os melhores momentos são exibidos em algum programa esportivo, podem reparar: o Beira-Rio nunca está lotado. Pelo contrário, está quase vazio. Olhando a arquibancada, dá para chutar que tem uns 30% de espaço ocupado da capacidade total. O sócio-torcedor do Inter oferece todas as vantagens que o Felipe Teodoro disse no comentário acima: ingressos em outras modalidades, sorteio de viagens com o time, promoções em estabelecimentos, camisas, etc.

Saandroo disse...

Está certo vc Rafael Kuvasney Marcolin, existe um preço aceitável que pode taxado de acordo com o jogo em questão; 20 reais tobogã está de bom tamanho e arquibancanda por 30 reais seria o ideal.

Saandroo disse...

Com relação ao tamanho das torcidas em SP, existem uma série de fatores que as fazem crescer ou estacar numa faixa-etária. Sem dúvida q ganhar títulos alavanca o crescimento, mas não basta ganhar uma taça aqui e outra ali. É preciso uma sequência razoável de títulos por pelo menos 3 anos consecutivos de modo que a criança vai se identificar com aquele time "que sempre vence". Nossos rivais alcançaram essa sequência nos anos 2000. Nós não. A conta é fácil como 2+2. O resultado está aí. Claro que os filhos de palmeirenses tendem a ser palmeirenses. E são essas crianças q nos representam hoje. Mas é pouco. Uma torcida precisa estar sempre em processo de crescimento. Não pode haver "espaços". A pergunta que se pode fazer é: É POSSÍVEL A TORCIDA SE RENOVAR EM MASSA MESMO O CLUBE NÃO GANHANDO TÍTULOS POR UM TEMPO RAZOÁVEL, ATRAVÉS DE AÇÕES DE MARKETING? Sim ou não? Minha resposta é sim. Vou dar um exemplo de marketing calculado dos bambis que aposto q poucos aqui sabem. No final dos anos 90 só dava Verdão em títulos e a mulecada virando tudo palmeirense. (Ainda mais sem a massificação midiática q vivemos hoje). Um tio meu na época foi a um shopping de SP (não lembro qual) e ficou surpreso com oq viu: no imenso hall de entrada haviam bonecos de plástico daqueles q funcionam com ventilação e ficam se agitando sozinhos com as cores e o distintivo do SPFW. Prato cheio para a mulecada se divertir e se identificar com as bichas. Até hj não sei que porra de parceria foi essa que elas fizeram com aquele Shopping. Mas foi feito e com certeza houve resultado numa época em que elas estavam em baixa e os títulos eram disputados por SEP e SCCP.
O que a SEP fez nesses anos todos em termos de marketing? Pensaram em renovar nossa torcida? e oq a atual e "profissional" gestão de PN está planejando nesse sentido? Que piada...deixa pra lá...

Raul Martins Dias disse...

Poderiam tranquilamente pegar aquele espaço resultante do maior crime cometido contra o Pacaembu, também conhecido como tobogã, e colocar a 10 reais. 5 para sócio-torcedor ou cliente do banco que dá desconto, sendo os dois benefícios não-cumulativos, ao contrário do que acontece no resto do estádio.

Elson Júnior disse...

Falou exatamente o que penso em relação ao preço do ingresso hoje praticado pela diretoria do Palmeiras. Falar que a dupla B1/B2 não fez o mesmo que a diretoria bambi, é claro, seria um suicídio deles encher o estádio naquele momento. E quem está pagando a conta é o Palmeiras! 18 mil pagantes hoje, fosse um ingresso mais acessível bota 25 mil na conta!