19 agosto 2013

P.F.S.

Balanço, política salarial, “não temos dinheiro”, CFO, fluxo de caixa, "não temos dinheiro", reestruturação financeira, empréstimo, “não temos dinheiro”, aumento da dívida, verbas, “não temos dinheiro”, consumidor, antecipação de receitas, “não temos dinheiro”, marketing, ingressos caros, “não temos dinheiro”, renegociação, COF, “não temos dinheiro”, orçamento, equilíbrio financeiro, “não temos dinheiro”, folha de pagamento, austeridade, “não temos dinheiro”, cotas antecipadas, contenção, “não temos dinheiro”, responsabilidade, corte de despesas, “não temos dinheiro”... 


Palmeiras Financial Society. É este, a depender dos rumos tomados pela gestão atual, o nome que deveria ser conferido à instituição que todos conhecemos como Sociedade Esportiva Palmeiras.

Porque o Campeão do Século XX não vem sendo dirigido como um clube de futebol, mas como um banco – dos mais ineficientes, diga-se de passagem. O gigante Palmeiras, de 15 milhões de torcedores pelo país, não é comandado com foco em títulos, mas com vistas a apresentar um balanço financeiro “saudável” – sem nem chegar perto disso. O Palmeiras deixou de pensar grande e perdeu a ambição que sempre prevaleceu na rua Turiassu, 1840. Perdeu-se a mentalidade de uma agremiação vencedora e, na transição para uma nova era, o clube sequer foi capaz de se beneficiar dos ares de profissionalismo baforados por uma gestão que se pretendia “moderna” (em uma eventual conotação positiva do termo).

O Palmeiras/2013 se apequenou de uma maneira nunca antes vista. Porque se já passamos por crises esportivas e até financeiras piores, nunca se portou o Campeão do Século XX como um mero entreposto. Nunca foi o Palmeiras um trampolim para associações menores. Nunca se viu a imagem do clube tão estilhaçada. Nunca se teve uma conduta tão omissa a partir de quem comanda a instituição.

O mantra dessa diretoria é: “Não temos dinheiro...” É só o que sabem dizer. Sete meses se passaram e só o que ouvimos é reclamação sobre falta de recursos - com tamanhas intensidade e sinceridade que fica mais frágil a imagem do clube perante todos os seus públicos de relacionamento: da torcida à imprensa, passando ainda por eventuais parceiros comerciais, por todos os adversários e por possíveis reforços.

Das dificuldades financeiras, senhores, sabemos todos os 15 milhões de palmeirenses mundo afora – é um mal que aflige praticamente todos os clubes deste país. Não é preciso rememorar a cada minuto. É preciso, isso sim, tomar atitudes para corrigir essa situação. É preciso buscar alternativas para os combalidos cofres do clube. Mas, antes de tudo, é preciso entender que só se vai chegar até uma situação financeira melhor se houver respeito à premissa que rege a existência da Sociedade Esportiva Palmeiras: "uma entidade civil de caráter desportivo, com personalidade jurídica de direito privado, sem fins econômicos lucrativos".

A pretensão de dirigir o Palmeiras como uma instituição financeira e não como um clube de futebol constitui um grave erro histórico. Mas, e talvez isso seja ainda pior, tampouco consegue esta gestão imprimir uma diretriz adequada no que tange a esse objetivo.

Porque ignoram nossos dirigentes que não se vence no futebol sem respeito ao seguinte paradigma: times bons ganham títulos, levam mais torcida ao estádio e geram a receita que vai permitir a formação de times bons que ganham títulos, levam mais torcida ao estádio e geram a receita que vai permitir a formação de times bons... 

Essa gestão prefere, no entanto, agir de maneira simplista, fazendo do corte de despesas a única variável em uma conta que nunca vai fechar. Porque se tivermos um time aquém de nossas tradições não alcançaremos conquistas relevantes e, por consequência, não sairemos dessa maldita espiral em que mergulhamos no ano 2000, quando ouvimos pela primeira vez a expressão “bom e barato”.

São 13 anos dessa política asfixiante (com um pouco afortunado respiro entre 2008 e 2009) e o Palmeiras segue sendo gerido com foco em um equilíbrio financeiro que, acreditem, é enganoso e não leva a lugar algum. Porque vejam os senhores que estamos mergulhados há 13 anos em uma política covarde sem que isso tenha se convertido em resultados na esfera esportiva – que é só o que interessa e que é o que proporciona receitas que não virão de nenhum outro lugar.

Para os que duvidam disso, eu pergunto: o que tivemos como resultado da política do “bom e barato” desde 2000?

Conquistamos dois míseros títulos em 13 anos - que podem ser contrapostos aos dois rebaixamentos.

Daí então que poderia vir a contrapartida: “Ah, mas o clube hoje está em uma situação financeira muito favorável, zerou sua dívida após mais de uma década de austeridade e agora está pronto para voltar a investir e retomar o caminho dos títulos”.

Nem isso, nem aquilo. O Palmeiras deste século abdicou de sua vocação para mergulhar em uma crise financeira ainda maior. Ficamos sem títulos e sem dinheiro. Uma coisa leva à outra, e aqui a ordem dos fatores deve ser preservada.

No caso do Palmeiras/2013, a coisa se torna ainda pior quando erros crassos são cometidos ou em nome de uma débil política de austeridade ou de pura negligência. Exemplos:
  • A decisão deliberada de abdicar da Copa Libertadores. Foram jogados no lixo pelo menos R$ 5 milhões de um eventual confronto contra o Atlético/MG e, quem sabe?, outros mais.
  • A oportunidade desperdiçada com os quatro jogos no interior: o clube perdeu dinheiro e deixou de se relacionar com parte da torcida que hoje está distante.
  • A incapacidade de buscar uma receita de patrocínio – algo que até a inapta gestão anterior conseguiu.
  • A política de preços dos ingressos pautada em devaneios e em parâmetros individualistas.
O recado final é simples:

A torcida não quer saber de austeridade, de balanços financeiros ou de fluxo de caixa. A torcida quer saber, isso sim, de um time capaz de suplantar não os provisórios adversários da Série B, mas sim os inimigos que teremos pela frente na Copa do Brasil.

Acreditem, senhores dirigentes: é bem mais fácil conduzir as coisas desse jeito, respeitando a vocação da Sociedade Esportiva Palmeiras, do que buscar uma saúde financeira que não vai nos levar a lugar algum - tomem como base, por favor, os 13 anos anteriores.

Clubes de futebol definitivamente não são empresas (pois não visam lucro) e não devem ser conduzidos como tal.

Não se deixem levar pelas normas que regem o mercado financeiro: o Palmeiras não tem acionistas que querem ganhar dinheiro sem fazer porra nenhuma; o Palmeiras tem torcedores que querem empurrar o time à vitória simplesmente porque essa é a única finalidade possível (para o clube e para a sua torcida).

38 comentários:

Raoni Machado disse...

Assino embaixo.
Vai toma no cu com porra de bom e barato.
E que monte um time decente pra nao passamos vergonha no centenario.

Tito disse...

Excelente blog!

Um clube não é uma empresa. Nós não somos acionistas. Ponto.

Queremos o respeito às tradições que moldaram nossas vidas. Queremos nos preocupar em ir ao estádio e empurrar o time para a vitória. Só.
Não nos tirem esse direito. Não nos encham os bagos com outras histórias tristes. Não nos envergonhem ainda mais.

E como canta a Camorra...
ABAIXA O INGRESSO E VAI PRA PUTA QUE O PARIU!

Fernando disse...

Ok, concordo que o foco do clube é ser uma instituição "sem fins lucrativos"... mas você tá esquecendo de um ponto: mesmo instituições sem fins lucrativos precisam ter algum controle, ou quebram. É um dos posts mais incoerentes que vc já fez, pq vc chama de covarde uma política de controle... pelo que eu entendi, a política "corajosa" seria gastar milhões e milhões (que o clube não tem, ou seja, fazendo novas dívidas) para ganhar a série B?
Infelizmente a realidade hoje é esta, estamos na série B e a meta até o final do ano é subir e começar 2014 bem.
Abraço

Felipe Teodoro da Silva disse...

Fernando, você entendeu completamente errado o post. Ele quis dizer e como todos os verdadeiros e apaixonados pelo Palmeiras sabem, o senhor PN e CEO junto à corja que se instalou estam acabando com o Sociedade Esportiva Palmeiras(Não somos um Clube de Futebol apenas!). Pois, de nada adianta controle financeiro tão grande que só possam jogar Marcio Araujos, Wendels, Maicon Leites e tantos outros ruins de bola da vida. E se eles querem controle, porque a tanto tempo estamos sem patrocínio master e com um marketing tão inoperante que só serve para responder agressões verbistas do site UOL e que têm com um parceiro a desrespeitosa RedeBOSTA Glorinthians como parceira. Acho que nem vou começar a citar os erros gravissímos cometidos por executivos que ganham mais que os jogadores que foram embora.

Fernando disse...

Felipe, eu entendi sim, e óbvio que não estou satisfeito de ver o Marcio Araújo (só pra ficar num exemplo) jogando há tanto tempo no Palmeiras. Só não acho que seja este fim do mundo colocado no post. Não vão reconstruir um time do dia pra noite. Não adianta fazer empréstimos de 500 milhões pra contratar o Xavi e o Messi para jogar a série B. Isso não seria "corajoso", seria uma burrice tremenda.
Quanto ao patrocínio, concordo, já demorou mesmo.. mas não é preciso saber muito pra entender que a maioria das empresas fecha seu orçamento na virada do ano, e não é simples liberarem verbas assim, do nada...
Ok, temos muitos erros (os preços dos ingressos sendo o maior deles), mas não é este inferno todo colocado no post.
Abs

Frederico disse...

Em relação à conta financeira, pensa da seguinte forma:

Plano básico do Avanti: $19,90
Camisa Palmeiras 13/13: $199,00

Plano básico 12 meses + Camisa Palmeiras 13/13 com 50% desconto: $19,90x12=238,80 + $99,50 = $338,30 divididos em 12x no cartão de crédito: 12 x $28,20.

Esse plano, dessa forma feita, atrairia, no mínimo 20.000 novos adeptos para o Avanti. A compra em 12x garante continuidade, ou seja, pelo menos 1 ano no avanti. Passados os 12 meses, renova-se no mesmo molde: novos 12 meses + nova camisa, mais 12 meses de plano. É tão difícil assim articular alguma assim?

Lembrando: $238,80 * 20.000 = $4.776.000,00.

Eu acho até que dá mais, podemos chegar aos 50.000 tranquilo. Depende do marketing.

Véio disse...

Eu achei que essa gestão estava justamente fazendo diferente dos 13 anos anteriores..

Bruno Evokers disse...

Perfeito Texto... está irritando essa diretoria. Todos os clubes estão tão endividados ou quase tanto quanto o Palmeiras.. o Atlético Mineiro é um dos que mais devem e acabou de ser campão de Libertadores, ajudando assim a sanar essa dívida. Tá muito estranho discurso dessa diretoria.

Felipe Teodoro da Silva disse...

Pode não ser um inferno agora, mas cara o ano de 2014 está praticamente ai e o que temos para o nosso centenário? Nossa casa com ajuda dos bons e velhos políticos está sendo atrasada ao máximo, talvez por ser o Palmeiras, a obra tenha que estar 100% em todos os requisitos e talvez por não ter o envolvimento público para que haja corrupção. Outro ponto temos time para fazer com que o próximo ano seja de alegria?

FC disse...

Excelente Barneschi: direto, simples e claro.

Que trabalhem, simplesmente, para cumprir a vocacao do Palmeiras.

Abrax,
FC

Felipe Teodoro da Silva disse...

Não devemos seguir o modelo de clubes como Flamengo, SCCP, CAM, pois todos nós sabemos o quão mafiosos eles são e sabemos que não somos e não precisamos deste tipo de política dentro da S.E.P.

Rodrigo Amato disse...

Código de Conduta da FIFA:

engage in conduct, which could impair the enjoyment of the Event by other spectators, or detract from the sporting focus of the Event;
be noticeably under the influence of alcohol, narcotics or any behaviour-modifying substance;
hinder or harass other individuals, including players and Match officials
to encourage violent or harmful behaviour or to behave, or to show a tendency to behave, violently or harmfully or in a manner likely to disrupt public order;

É assim então que acaba o futebol... foi bom enquanto durou.

Fernando Galuppo disse...

ASSINO EMBAIXO!!!

Falou tudo. Só não enxerga quem não quer. Ou então aqueles que vivem no mundo de Pollyana!

Fernando Galuppo
FORZA VERDÃO

Anônimo disse...

austeridade financeira, contas em dia, receitas x despesas, bom e barato, não temos dinheiro, não vamos fazer loucuras..... o ''pai'' disso tudo tem nome, sobrenome e ainda habita o Palmeiras

Mustafá Contursi

se o Palmeiras não tem dinheiro e o escambau, imaginemos então os clubes do Rio

devem estar no semáforo pedindo 0,50 centavos, vendendo bala de jujuba pra arrecadar dinheiro e contratar jogador

triste

Luan disse...

manda um email desse seu texto pra diretoria palmeirense.

precisam demais ler isso

Anônimo disse...

e o beijo do gambá

num vai falar nada porra

vc apoia isso?

viro paladino da liberdade

essa viadisse

Antonio Previato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antonio Previato disse...

Respeito o blog e o Barneschi pelos excelentes textos, mas discordo do extremismo que ele trata a diretoria.

Paulo Nobre e o CEO cometeram alguns erros desde de que assumiram o controle da SEP. O principal deles, na minha opinião, foi desistir da Libertadores da América sem ao menos tentar algo que nos desse a chance do título.

Além disso, considero um erro enorme essa política de preços excludentes praticada pela atual gestão. Se querem cobrar ingressos mais caros, que deixem ao menos um setor -o caso do Pacaembu o tobogã - a preços populares. O Palmeiras deixou de ser um time de colônia há muito tempo.

Entretanto, há melhoras nestes meses de PN e Brunoro. Não se vaza tantas informações (e fofocas) como antigamente. Temos novamente um time, com algumas peças de reposição. Contratações de jogadores de bom nível técnico sem gastar muito dinheiro, a exemplo de Mendieta e Allan Kardec, que resultaram numa campanha tranquila, até então, na Série B.

Defender a diretoria não é uma covardia. Ainda tenho esperança nesta gestão.

Anônimo disse...

Obrigado senhor Barneschi, obrigado por não tratar o amor da minha vida como coitado.

PRA FRENTE PALMEIRAS!

Raoni Machado disse...

Pedir post sobre gamba é de fuder. QUE SE FODA esses gambas..

Felipe Teodoro da Silva disse...

Concordo com o Antonio que há também pontos positivos. Nunca se ouviu mais fofocas mesmo que a mídia tente a diretoria logo corta e concordo em emprestar alguns atletas, mas precisa fica chora mingando toda hora. Já chega desse chororo, não queremos ouvir isso. Com relação ao ingresso, o setor que deveria se manter barato é arquibancada e o tobogã e não somente o tobogã.

Anônimo disse...

tem alguns contrapontos q precisam ser esclarecidos.

Felipe Camargo disse...

preços altos demais. não dá para tolerar isso.

Norberto disse...

será q vcs não enxergam? só parou de vazar informação pq o Mustafá quis assim.

O Mustafá é que manda nessa porra. Ele manda no COF e ele tem o poder de vazar informações para Perrone, Painel e por aí vai.

Se um dia o Nobre romper com ele, vocês verão o mar de vazamentos que vai voltar. Além disso, o mérito por sair menos vazamentos é o fato de Mauro Marques, Gilto Avalone, Piraci, Frizzo e Acaz Fellegger terem sumido do Palmeiras. Eles plantavam a discórdia. E aquela ameba do Strufaldi também resolveu calar a boca. pois ele vazava tudo sobre a Arena e sobre contratos e valores de atletas. cânceres!

turiassu disse...

"A torcida não quer saber de austeridade, de balanços financeiros ou de fluxo de caixa."

Infelizmente, serei obrigado a discordar dessa frase, pois, pra minha revolta, já vi muito palmeirense, especialmente no Twitter, comemorando um eventual "saneamento" das contas do Palmeiras, o que é lamentável. Mesmo antes desse tal Paulo Nobre ganhar a eleição, já tinha muito palmeirense que o idolatrava. Depois que ele tomou posse, estes passaram a falar "amém" pra cada palavra dele.

Ou seja: tem muito palmeirense por aí que perdeu a noção do que é ser torcedor de um time de futebol.

Francisco Menezes Reis disse...

Me desculpem, mas alem de nao me considerar menos Palmeirense que ninguem, acho que o futebol de hoje EXIGE que o time seja gerido como empresa. Vivo em Munique na Alemanha e nao existe ninguem no mundo mais Palmeirense que eu (talvez igual) e vejo que o FC Bayern Munchen eh um gigante do futebol mundial, da prazer de ver jogar e tem um time e elenco hoje em dia invejado por muitos (incluindo Barcelona que levou de 7 a zero no ultimo combate da Champions League) se nao todos, pois eh administrado por homens do futebol (todos ex jogadores do time e da selecao alema o CEO Karl Heinz Rummenigge e presidente Uli Hoeness)e que administram profissionalmente um TIME DE FUTEBOL. Apoio totalmente Paulo Nobre e Brunoro e acho que o unico meio de termos um TIME DE FUTEBOL vencedor e que traga titulos ao PALMEIRAS eh administrar o time como se fosse uma verdadeira empresa, com lucro como maior objetivo.

Toki® disse...

O lucro pelo lucro não pode ser o maior objetivo de um time de futebol, ou de uma sociedade esportiva... Pelo menos não declaradamente... Pode até ser consequência!

O maior objetivo de um time de futebol, e acrescento aqui a "Sociedade Esportiva" tem que ser a "GLÓRIA" das vitórias! Os títulos! A eternização do nome e da bandeira!

Porque quanto mais vitórias, mais títulos e quanto mais títulos, mais torcedores nos estádios e ginásios, mais crianças se confirmando torcedores (mais consumidores sendo formados! Mais "fãs"!) e aí tem-se mais patrocínio, mais empresas querendo se associar ao clube e à marca! E aí sim, finalmente, talvez, o lucro!

César SEP disse...

Todos os caminhos levam para a seguinte pergunta: o que mudou da gestão anterior para esta? Reformulação do elenco? isso já era esperado, independente do presidente que assumisse. Ações de Marketing? até agora não vi nenhuma. O que nós vemos é empresários autônomos se esforçando para abrir franquias nos shoppings paulistanos, sem apoio ou ajuda de ninguém.
Barneschi, lendo esse post me fez lembrar da primeira postagem publicada nesse ano de 2013, "Um olhar para o futuro". O Palmeiras parou no tempo, os clubes (e o mundo) evoluíram, e a SEP se apequenou, junto com o pensamento dos seus torcedores. Se você critica alguém dessa atual gestão, a maioria vem e discorda de você. Enquanto alguns comemoram o saneamento de parte das dívidas, nós estamos pensando em quais títulos podemos ganhar.
Um clube de futebol não é uma empresa. Empresas tem marcas, um clube de futebol tem alma!

Abraço!

Anônimo disse...

Os caras assumem um time sem orçamento, sem jogadores e sem moral alguma no mercado. Em 8 meses conseguem montar um ELENCO minimamente competitivo, há carências, é óbvio. Conseguem resgatar um pouco da auto estima do torcedor nos fazendo passar por mais este inferno de série B sem sobressaltos. No entanto de alguns sites da mídia palestrina só levam lambadas. Estão fazendo tudo diferente do que foi feito nos últimos 12 anos, onde nossos resultados foram pífios, e ainda assim não merecem um pouco de credito. Sinceramente não entendo. Deveriam fazer mais empréstimos? Comprometer mais receitas? Dê alguma idéia. Definitivamente é muito fácil ser estilingue e dificílimo ser vidraça. Sandro Ramos

Guilherme Lima disse...

Barneschi,

Seu texto é um oásis. Direto e reto na fuça de muitos amici iludidos com todas essas terminologias modernas do primeiro parágrafo.

Parabéns pela ousadia e clareza.

PALESTRA, CAZZO!

BrunoBatera disse...

Ontem o Paulo Nobre esteve no Band Sports. No programa estava Velloso, lendário goleiro do Palmeiras. Quando pôde fazer uma pergunta, Velloso perguntou pro presidente se com essa vantagem do time na Série B, o Palmeiras não poderia priorizar a Copa do Brasil, para poder disputar a Libertadores no ano do centenário do clube. A resposta do presidente foi a mais desanimadora possível! Respondeu que a principal competição do Palmeiras esse ano é a Série B, que o foco é subir e etc... Pelas palavras do presidente, classificar na Copa do Brasil ou não, pra ele tanto faz. Isso vai de encontro com a mensagem que o post quer passar. Essa declaração pode não significar nada para alguns, mas pra mim foi um desrespeito com o Palmeiras. Claro que tem que subir pra Série A, mas se temos uma competição a nível nacional, da qual somos os atuais campeões, que pode nos classificar pra Libertadores no ano do nosso centenário, ela não pode ser tratada como foi pelo presidente

Anônimo disse...

alguem sabe onde fica a loga da bmw ai em sampa??

abraços

Renato Moreira disse...

Pense pequeno, faça pequeno e aos poucos você se tornará pequeno...

Estamos encolhendo com esse pensamento medíocre!

Leonardo disse...

Os próprios palmeirenses se esqueceram do que o Palmeiras realmente é. A impressão que se tem ao ler comentários aqui e ouvir opiniões em outros lugares é que torcemos para um mero coadjuvante e que não devemos aspirar nada demais. Está tudo bem do jeito que está. O preço é esse aí.

Leonardo Nakamura

Raul Martins Dias disse...

É bem isso, Leonardo. Cansei de ver palmeirense achando que 4º, ou até mesmo 10º lugar no Brasileiro, é uma boa campanha. CAZZO, para o Palmeiras, boa campanha é ser campeão brasileiro, qualquer coisa abaixo disso não serve, ainda mais levando-se em conta que há 19 anos essa taça não é nossa. Isso para não falar de palmeirenses que gozam mais com o pau dos outros do que com o próprio. Dá no saco isso.

Ralf disse...

Nossa cara, discordo 99% de você..

Pra começar acho que a presente gestão é uma quebra com relação aos 12 anos anteriores, quando fomos geridos por incompetentes e mal intencionados..

Com relação a por as contas em dia, só concordo (o 1%) que não tem porque ficar repetindo que não temos dinheiro, isso já sabemos!

Não vejo motivo para desespero, vejo o time tomando forma (não é o melhor, mas para série B é o que precisamos) e pra Copa do Brasil, se o GK não inventar, somos candidatos ao título!

Hoje temos mais de 27000 ST's, coisa que a 7 meses atrás eram 8000, um crescimento absurdo, até porque estamos na Série B e sem Estádio!

Acho que os jogos fora de SP foram um erro, mas já corrigido, acho que o patrocínio master está demorando, mas não deve ser feito no desespero, senão desprestigiaremos o time..

Espero que vc esteja completamente errado e que ano que vem a gente possa mostrar toda a nossa força no centenário..

E todos nós abraçados felizes pelo Palmeiras ter recuperado seu lugar no cenário nacional!

GilMackoy disse...

Enquanto o Musgambá estiver fedendo pelas alamedas vai continuar essa merda de pensamento elitista da pompéia endinheirada que pensa mais no clube socia do que no futebol, no nosso Palestra.

cristiano disse...

Eu vejo apenas os clubes ricos serem campeos e terem times com grandes jogadores....diga-se o Real, o Barça, o Bayer, o Manchester e apenas clubes que estao se estruturando finançeiramente estao conseguindo acompamhar estes que falei diga o Borussia, o PSG e o Chesea( com dinheiro de bilionarios) no mais os outros clubes raramente chegam a uma final de champions league...entao o caminho do fitebol moderno e este.