11 março 2012

À espera do dia 25



Mal começou a temporada e já foram quase 3.000km percorridos pelas estradas de São Paulo e do Mato Grosso do Sul: viagens para Prudente/MS (aqui e aqui), Bragança e Guaratinguetá. Percebi que a temporada será longa demais, provavelmente teremos mais viagens imbecis e desnecessárias pela frente e isso tudo explica o fato de eu não ter ido para Ribeirão Preto neste domingo. Mas sempre tenho amigos me representando e eis que a foto acima deve ser creditada ao grande amigo Felipe Giocondo. E é dele também a informação de que pelo menos cinco mil palmeirenses estavam do lado de fora do estádio Santa Cruz com o jogo já em andamento. Detalhe: com os devidos ingressos na mão. Detalhe adicional: ingressos que custaram ao menos R$ 60 (ou R$ 30 para os estudantes).

Além da evidente comemoração pela goleada de 6 a 2 fora de casa, devemos também festejar o fato de o Botafogo/SP estar bem perto do rebaixamento. Lamento pela história do time, pela cidade e pelo ótimo estádio Santa Cruz, mas seus dirigentes merecem isso. Cobraram um valor extorsivo pelo ingresso e ainda fizeram muita gente do nosso lado perder parte do jogo? O rebaixamento é o mínimo que se pode esperar.

Quanto ao time, entendo que há motivos de sobra para empolgação, mas prefiro ser bem cauteloso. Todos vimos o que aconteceu em Ribeirão, percebemos que Felipão parece finalmente ter conseguido montar um ótimo time e um bom elenco, mas eu quero mesmo é ver como o time vai sair nos jogos realmente decisivos. Tipo o do próximo dia 25/03. Não custa esperar.

###

Alguns números e considerações necessárias:

_Os 19 jogos de invencibilidade foram construídos com 11 vitórias e 8 empates. O Palmeiras só deixou de marcar gols em duas partidas (contra São Caetano e SCCP, ambas no Pacaembu).

_No ano, são 31 gols marcados em 14 partidas. Barcos é o artilheiro, com sete gols. Maikon Leite tem quatro. Assunção, Daniel Carvalho e Artur marcaram três vezes.

_O Palmeiras não teve nenhum jogador expulso na temporada.

_É válido comparar o desempenho do time como mandante e como visitante nos jogos do Paulistão. Em casa: 7-3-4-0; fora: 6-5-1-0.

_Publiquei no final de semana o post com a provável tabela do Palmeiras no Campeonato Brasileiro/2012. Deixo aqui a indicação para que ela não se perca.

8 comentários:

André Barganian disse...

O jogo ja estava 1 a zero e eu ainda estava fora do estadio junto com algumas milhares de torcedores, uma fila imensa e apenas 2 portinhas abertas com uns 20 ou 30 coxinhas só olhando e uns 3 fazendo a revista! De repente resolveram que nãi iam revistar mais ninguem e todos entraram em minutos! Mas o pior estava por vir. Reservaram mais da metade do estadio para o Botafogo ou seja tinha umas 15 mil pessoas em menos da metade e umas 3 mil em todo o restante não era possivel assistir o jogo! E a policia dizia que não podia fazer nada pois estava lá apenas para garantir a segurança (como se fosse seguro deixar a maioria no menos espaço) Apenas no intervalo consegui descer ate o fosso e assisti o segundo tempo de lá. Lembrando que o ingresso custou absurdos R$60,00, pelo menos o segundo tempo e a certeza que esse time vai ser rebaixado fizeram valer a pena toda essa palhaçada!

Barneschi disse...

André,

Obrigado por atestar com esse nível de detalhes toda a palhaçada à que foi submetida a torcida do Palmeiras no estádio Santa Cruz.

Abraços

Luan disse...

Que jogão de bola! Uma belíssima goleada do Palmeiras! O time jogou muito bem e se impôs sobre o adversário! Henrique, Valdívia, Daniel Carvalho e Juninho jogam demais, e o resto do time também mostrou muita técnica, raça e determinação! Estão todos de parabéns! Que joguem assim no dia 25 e no mata-mata.

Cheguei lá e percebi o povão palestrino que estava ao redor do estádio e já fui dando um jeito de entrar. Pisei na arquibancada era 3hs e respirei aliviado e aquela sensação boa veio ao avistar o gramado.

Grande Mancha Verde! Não parou um minuto e contagiou o público que estava em volta! O povão cantou junto e a festa foi bonita!

A torcida do botafogo ficava o tmepo todo insultando os palmeirenses que os abafavam facilmente, e quando a PM liberou a torcida palmeirense próxima a eles vi que ia dar briga tamanha foi a troca de ofensas de um lado pro outro. A torcida do botafogo é uma torcidinha de merda!

Que felicidade! Só o Palmeiras mesmo para nos proporcionar momentos tão bons em nossa vida, principalmente no cimento da arquibancada!

AVANTI PALESTRA!

Caio Veloso disse...

Praticamente nula a organização de qualquer coisa nesse jogo.

Chegou a um ponto em que foram buscar catracas do outro lado do estádio para dar conta da nossa entrada. E nem assim conseguiram.

Cavalaria da polícia no meio do tumulto, e muitos Palmeirenses para fora com o jogo já começado.

No mínimo uns 7 mil chegaram cedo e não conseguiram entrar até a metade do primeiro tempo.

Se o jogo é o maior evento do ano para eles, que tratem a organização como tal, não apenas no preço do ingresso.

Anônimo disse...

que absurdo o que fazem com a nossa torcida.....

e ingresso a 60 reais e tinha essa gente toda??

É PALMEIRAS!!!!

Leonardo disse...

De volta de uma batalha!

Este jogo no Santa Cruz ficará marcado na minha memória como a partida que mais sofri, contando as dificuldades para se adquirir o ingresso, o alto custo financeiro, a viagem cansativa e a péssima organização. Mas o que importa é que cada segundo valeu a pena.

Deixei a cidade de São Paulo no fim de tarde da sexta-feira rumo a Batatais, planejando passar o fim de semana com parentes que tenho na cidade e estado ao lado do Palmeiras.

Antes de ir pra lá, já surgiram as primeiras dificuldades - o ingresso. Meus amigos caipiras não puderam comprar o ingresso pra mim, já que era obrigatório a apresentação de RG no ato.

Fui, então, no sábado de manhã, ao estádio do Botafogo. Cheguei lá por volta do meio-dia e havia uma fila de, no máximo, 80 pessoas, mas que levou pouco mais de uma hora. Não poderia ser diferente, haviam apenas quatro bilheterias e com o tal cadastro do RG, cada impressão de ingresso levava muito tempo e o sistema caia a toda a hora.

Mas o sofrimento veio mesmo no domingo. Chegamos nos arredores da cancha por volta das 15 horas e haviam três grandes filas que se encontravam nas proximidades da entrada da torcida visitante. Uma delas - que pude observar do início ao fim - tinha mais de 200 metros e não andava absolutamente nada.

Não havia mais o que fazer, nós nos envolvemos com um conhecido e furamos fila mesmo. Ou fazíamos isso, ou ficávamos para o lado de fora.

Passamos por uma situação sub-humana, das 15h às 16h15, a confusão foi tremenda. Centenas de palmeirenses se aglomeravam para tentar adentrar ao estádio, sem organização alguma. Observamos de perto a vergonhosa atitude da cavalaria da Polícia Militar que se manteve afastada a nos observar.

Por volta das 15h50, a paciência de todos já estava se esgotando. A multidão que estava lá em cima começou a descer e a fila não era mais respeitada. Vi inúmeras crianças e senhoras passando mal e chorando e nada estava a nosso alcance, éramos todos vítimas.

Sem revista da PM, finalmente pisamos na arquibancada, mas sem deixar de sofrer mais um pouco, já que não haviam mais lugares na arquibancada. Só conseguimos assistir o jogo porque fomos rapidamente ao espaço central da arquibancada que nos foi liberado depois do início da partida.

O público foi de 17 mil pagantes, acredito que 15 mil eram palmeirenses, a torcida do Botafogo ficou em casa.

A volta para cá também foi cansativa, o ônibus Cometa só passava em Batatais às 00h35. Cheguei em casa às 6h15, tomei banho e já fui para o serviço. Hoje foi um dia duro.

AQUI É PALESTRA!

Leonardo disse...

PS: a cidade de Ribeirão Preto perdeu o direito de ter um time disputando a elite estadual.

Veremos de longe como será a organização neste próximo fim de semana, na partida entre Comercial e SCCP.

Barneschi disse...

Leonardo,

Obrigado por mais este relato. Vou publicar novo post sobre isso muito em breve.

Abraços