23 março 2009

Até onde vai a omissão da FPF?

A FPF é só omissão, e agora nem é possível colocar a culpa no Del Nero, que fez toda a merda e depois deu um jeito de ser punido. Mas o próximo sábado traz um Clássico do Ódio e provavelmente teremos de ficar no mesmo lugar onde ficaram os gambás no clássico que tanta polêmica rendeu há pouco mais de um mês.

Ok, que seja assim. Quando eu vou ao Jd. Leonor, eu faço questão apenas de uma coisa: quero ser tratado como inimigo. Seremos apenas seis mil, mas seis mil guerreiros, que valem muito mais que todos os alienados que estiverem lá do outro lado. Que venha a guerra!

Há, no entanto, dois pontos que devem ser observados:

1. Talvez nem tenhamos de nos preocupar com os bambis alienados, pois o inimigo de sábado podem ser novamente os homens do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar, que tantos problemas têm causado. Mas o momento agora pede um cuidado todo especial, em especial porque a coisa está muito bem orquestrada.

2. Leiam aqui. Pois bem, meus caros, meus argumentos seguem intactos. O mando é da FPF, a omissa, mas ninguém nunca contesta quando os bambis estão à frente na tabela: o jogo é sempre no Jd. Leonor e eles ficam com 90% dos ingressos. É de se esperar que a omissão persista também em 2010, e aí jogaremos no nosso estádio e em situação oposta. A conferir.

10 comentários:

Ulisses disse...

Fala Barneschi!!!

Eu aqui do outro lado do mundo nem precisava ler seu blog pra imaginar o que estava se passando... Mas como sempre vc faz o alerta que os outros omissos (imprensa) fazem questao de nao ver...

O que gostaria de entender eh ateh quando a Diretoria do Palmeiras, Corinthians, Santos, Sei la mais o que.. sera omissa aos prós bambis!!!

Acho que ja passou da hr de alguem com voz ativa na imprensa se manifestar!!

Sabe se tem alguma coisa que faça com que o silencio permaneça?

Grande Abraço!! Temos que debulhar esses bambis e aquelas PUTAS nojentas!!!

Anderson Ugiette disse...

barney, tira uma duvida minha??
CADE O LUIGI???
ROMPEU RELAÇÕES COM A MIDIA PALESTRINA?

enfim...
abraços!

Craudio disse...

Sim, esqueça os bambis. O problema será a PM. No mais, façam vossas partes e quebrem aquela merda. De novo, como fizemos há um mês... Ah, o vidro do setor visa não é blindado, pode bicar que o bagulho estoura.

Daniel disse...

mano e quando começa a cvender ingresso pra sabado? nao falaram ainda???

Forza Palestra disse...

Cara, parece que teremos 6.200 ingressos, a R$ 40 a arquibancada e R$ 70 a cadeira superior. E a venda para a gente deve acontecer apenas no Palestra, mas ainda sem data e horário definidos. A demora dos bambis é muito estranha, porque eles sempre costumam iniciar as vendas com antecedência. Enfim, por enquanto, não tem nada resolvido.

Mas vejam só o que traz o jornaleco esportivo:

– Se isto acontecer novamente, o nosso policiamento vai reprimir a agressão. Estamos para proteger todo mundo, inclusive a nós.

A frase acima é do Coronel Hervando Luiz Velozo, comandante do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar. Ele fez parte do policiamento no clássico de domingo, entre Corinthians e Santos.


Ou seja, eles já virão prontos pro confronto...

Forza Palestra disse...

Quanto ao Luigi, ele está curtindo merecidas férias. Mas continua indo aos jogos normalmente.

Forza Verde disse...

Ae Barneschi, que que vc me diz disso? É pilantra ou não?
___

Clássicos das confusões podem ter terceiro capítulo

– Se isto acontecer novamente, o nosso policiamento vai reprimir a agressão. Estamos para proteger todo mundo, inclusive a nós.

A frase acima é do Coronel Hervando Luiz Velozo, comandante do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar. Ele fez parte do policiamento no clássico de domingo, entre Corinthians e Santos.

O Coronel refere-se a mais um conflito envolvendo facções organizadas e Polícia Militar. O segundo seguido em clássicos disputados na Capital – o primeiro havia sido entre São Paulo e Corinthians.

Mesmo após o confronto com os santistas, que deixou duas policiais feridas e pelo menos dez torcedores detidos, o Coronel não pretende fazer mudanças no procedimento a ser adotado no sábado, no jogo entre São Paulo e Palmeiras. Novamente, Velozo será o responsável.

– Como sempre fazemos, vamos pedir o apoio de todas as torcidas, numa força tarefa. Mas não devemos ter muitas mudanças no procedimento, não – disse.

Segundo o Coronel, a única coisa que deve mudar será o número de policiais no estádio, tendo em vista o tamanho do Morumbi. O número, porém, não será maior do que o designado para a partida entre São Paulo e Corinthians, no mesmo local, no último dia 15 de fevereiro, também pelo Paulistão.

– Será o mesmo, pois não foi problema do policiamento naquele jogo, nem neste – defende-se.

Há outras semelhanças nos dois conflitos, além dos procedimentos adotados pela Polícia Militar.

Assim como no Majestoso, as diretorias de Santos e Corinthians se alfinetaram durante a semana que antecedeu o clássico.

Para o Major Balistiero Filho, que chefiou o policiamento no clássico de domingo, isso só contribui para que os conflitos aconteçam:

– Acirra os ânimos e deixa a torcida mais alvoroçada. Os dirigentes poderiam contribuir conosco.

Com o futebol e o torcedor...
___

Coronel Veloso sai em defesa da PM
Comandante responsável por operações nos estádios, classifica agressores como "vândalos"

O clássico Paulista entre Corinthians e Santos foi manchado, mais uma vez, pela violência que infelizmente assola os estádios de futebol no Brasil. No episódio, deste domingo, no Pacaembu, torcedores do Santos entraram em conflito com a Policia Militar do Estado de São Paulo, logo após o término da partida em que o Santos saiu de campo derrotado por 1 a 0.

Coronel Veloso, comandante de operações nos estádios paulistas, isentou a ação da Policia de qualquer culpa pelo o ocorrido e condenou a atitude dos membros da facção santista.

- Foi um fato lamentável. Não podemos chamar de torcedores aquela minoria e sim de vândalos - comentou.

Veloso disse, ainda, que a intenção dos policiais foi de apenas se defender das agreções sofridas pelos "vândalos".

- Eles (os torcedores) partiram para cima dos policiais com pontapés, socos e com tudo que tinha pela frente. Por tanto, a Policia Militar só estava lá para defender os torcedores de bem e, é claro, se defender - completou.

LANCEPRESS!
___

Não colei o link aqui pq não dou moral pra jornaleco vagabundo.

Cesar - MV - ABC disse...

Sábado jah está TUDO ARMADO pelo choque pra virem pra cima dos Palmeirenses e colocarem a culpa nas Torcidas Organizadas, não em UM SÓ JOGO no Morumbi que não aconteça um corre - corre na saída da Giovanni Gronchi, vão tentar fazer com os Palmeirenses o que fizeram com os gambás com certeza, essa campanha pelo cadastramento nacional do torcedor inclui isso, a polícia causa os tumultos e a " sociedade " fica perplexa com os " vândalos ", sempre foi assim mas agora existe uma causa política por trás disso não eh mais apenas o ódio dos policiais aos Torcedores......

viniciusfb0 disse...

Essa tal de FPF acha que somos todos palhaços.
No site da própria federação está escrito que os ingressos estariam sendo vendidos apartir de hoje ( Terça-feira dia 24, http://www.futebolpaulista.com.br/info_texto.php?cod=23580 ), pois bem, tive amigo que saiu de casa 7 horas da manha pra comprar ingresso.
Cheguei lá era 10:30, não tinha fila, logo estranhei.
Resultado: Ingressos só para o Bragantino.
É de ficar puto da vida.
Se eu fiquei, imagino os caras que foram lá 7 horas da manhã.
É uma vergonha. CHEGA!
Sem contar que as atendentes me falam que só iria vender na quinta-feira e ainda só venderia naquele ANTRO, coisa que realmente não acredito.
A falta de informação para nós torcedores é absurda!
Pelo menos já comprei para o jogo de hoje.
E parece que não serão 6.000 mil guerreiros.
Se o site tiver correto sobre isso, serão 4.200.

Forza Palestra disse...

Vinicius,

Os bambis ainda não começaram a venda de ingressos, mas é evidente que a nossa parte deve vir para o Palestra. Ao que parece, serão 4.200 para a arquibancada vermelha (R$ 40) e 2.000 para a cadeira superior (R$ 70). Acho que a confirmação sai ainda hoje.

Abraços