04 março 2009

O que o dinheiro não compra


Acabaram com tudo isso para botar ali um bando de idiotas de boné branco...

Você pensa em Mastercard e logo vem à mente o bem-sucedido slogan publicitário: “Tem coisas que o dinheiro não compra...”. É, tem mesmo. Mas há quem venda bens importantes por qualquer dinheiro. Foi assim que venderam o espaço mais nobre do nosso estádio para outra operadora de cartão de crédito, a concorrente desta que diz existir para “todas as outras [coisas]”.

Eu não tenho nada contra a Visa, mas tenho tudo contra o Setor Visa. Não é de agora, e eu disse isso ainda em 2007, quando começaram com aquela obra que modificou para sempre a nossa casa.

Aquele, meus caros, era o nosso lugar. Era o lugar da Mancha e também o da TUP, assim como de organizadas menores que por ali se instalaram. Era o lugar de tudo quanto é torcedor de verdade. Era. Lotearam um espaço tão nobre por muito pouco, e hoje o que era a arquibancada central do Palestra virou um espaço para consumidores.

Deixou de ser a parte da arquibancada que exercia pressão sobre bandeirinhas e laterais adversários e virou um reduto para corneteiros inconseqüentes, que tiram a tranqüilidade de nossos atletas ao menor sinal de dificuldade. O Setor Visa é uma sala VIP para esta nova categoria, a dos consumidores, e eles se enxergam não como torcida, mas como platéia. É, como dizem, um "público qualificado".

Peço atenção à semântica da palavra ‘consumidor’: “aquele que adquire mercadorias, riquezas e serviços para uso próprio”. E aí eu me ponho a pensar: como pode alguém equiparar o futebol a uma mercadoria ou a um serviço? Como podem colocá-lo na mesma categoria de cinema, teatro ou qualquer tipo de entretenimento? Só falta agora exigirem “satisfação garantida ou o dinheiro de volta”.

Seguindo à risca o significado da palavra, o consumidor de futebol tem com o Palmeiras não uma relação amorosa, mas uma relação de consumo: “eu pago, eu quero receber o produto”. Pouco importa se o futebol não é um bem que se escolhe em uma prateleira. Porque aí o consumo se dá de maneira predatória, como na noite de ontem, em que muitos exerceram o seu pretenso direito de consumir – e destruir. Consumiram – e destruíram – de tudo um pouco: a tranqüilidade do time, a paciência do torcedor de verdade, a força do nosso estádio.

Bons eram os tempos em que tínhamos os cornetas apenas na numerada, a atazanar a vida de um Felipão que precisou de apenas uma frase para atirá-los ao escárnio público. Bons tempos aqueles em que o grito das organizadas saía do meio do campo e ecoava por todo o estádio, sufocando qualquer manifestação contrária aos jogadores.

Foi ali, no meio do campo, que eu aprendi a torcer. Ainda moleque, mas sempre ali, por algumas centenas de vezes: no alto, no meio da Mancha ou pendurado em uma grade. Foi lá que eu aprendi a cantar forte o nome do time e a aumentar o grito da garganta não quando o Palmeiras está na frente, mas quando leva um gol. Foi lá que eu aprendi a aplaudir os jogadores e a infernizar a vida do adversário. Foi lá que eu aprendi que todo juiz e todo bandeirinha é um inimigo em potencial, e que é justo detonar com eles antes mesmo de a bola rolar.

Foi ali que eu compreendi que deve-se ir ao estádio não para assistir ao jogo, mas para empurrar o time à vitória. Foi ali, sempre de pé e por vezes me equilibrando, que eu percebi que o futebol pede muito pouco pelo tanto que dá em troca. Foi ali, sem qualquer conforto, que eu descobri que o torcedor é o personagem mais importante do jogo. E foi ali, por vezes com a visão encoberta, que eu tantas e tantas vezes ajudei meu time a buscar resultados que pareciam improváveis.

Por isso tudo, é triste perceber que aquele espaço tão nobre pertence hoje a um bando de idiotas de boné branco que enfiam a bunda em uma cadeirinha numerada e exercem uma relação estimulada não pelo amor ao Palmeiras, mas pelo patrocínio de uma empresa qualquer.

O futebol, em certo sentido, é acessível a qualquer oportunista que tenha R$ 90 no bolso e que defenda a cobrança de tal valor para assegurar seu conforto alienante em detrimento das camadas populares. Ele pode pagar por isso, como pode comprar quase tudo com seu cartão de crédito. Que o faça em um jogo de futebol, mas que passe, a partir de agora, a arcar com as conseqüências.

Por enquanto, é bom que você, consumidor elitista, tenha uma coisa bem clara: você pode comprar o ingresso de um jogo decisivo, o pay-per-view, a camisa oficial, o que for. Isso faz de você um consumidor, parabéns. Mas você jamais será um torcedor, pois isso é uma questão de alma. E alma, até prova em contrário, não pode ser comprada com a porra do seu cartão de crédito.

E aqui é arquibancada!



Era assim que recebíamos os adversários...

59 comentários:

Ademir Castellari disse...

Grande, Barneschi!!!!

Teo disse...

Caraca, detonou

Parabéns.

Felipe disse...

Barneschi, gosto muito do seu blog. Mas acho que é apenas a terceira vez que comento aqui. Não consigo concordar com a sua opinião nesse assunto. Veja porque:
1) Sou MUITO palmeirense, fanático mesmo. Posso não ir em todos os jogos como você, e certamente não tenho o costume de ir em jogos fora de São Paulo (fiz isso apenas duas vezes na vida, Vila num jogo qualquer e Ribeirão na primeira final de 95), mas vou sempre que posso, e vou porque gosto de estar lá, e não apenas quando o time vai bem, como fazem leonores. Não deixo de ir por causa de chuva, ou de horários ingratos. Tenho a sua idade e cerca de 200 idas ao Palestra e NÃO GOSTO DA MANCHA VERDE. O motivo é bem simples: seus integrantes se consideram mais importantes do que o Palmeiras. E não são. Nunca serão.
2) Eu sou também um consumidor. Cansei de pegar horas de fila (foram 8 horas de fila, 2 voltas no quarteirão do Palestra e algumas confusões criadas por integrantes da Mancha quando disputávamos ingressos para a final da Libertadores de 99 - mas eu bravamente consegui o meu); cansei de chegar cedo, sentar em um lugar bom no estádio, mas ser "expulso" pelos integrantes da Mancha que chegaram depois de mim e ficaram de pé na minha frente, não me dando outra opção senão levantar e buscar outro lugar (exemplo: final da Copa do Brasil de 96). Agora, com o setor VISA, pago mais caro, mas sento no lugar que eu escolher e não tenho que passar por situações desagradáveis como as citadas acima. Ora, quando eu tinha 12 anos, eu não era assim. Agora com 28, eu sou, e não me envergonho disso. Continuo sendo o mesmo palmeirense, que lê o caderno de Esportes do Estadão todos os dias, que lê a Mídia Palestrina todos os dias e que passa as férias futebolísticas apertando F5 no site do Palmeiras para tentar ser o primeiro a saber de novas contratações.
3) Mesmo sendo um torcedor comum, eu estive no Morumbi nos confrontos com o SPFW pela Libertadores. Em 2005 e em 2006. Você deve imaginar que torcedor comum não se "arriscaria" assim, mas está errado.
4) Eu não tenho o costume de vaiar o time ao longo do jogo. Nesse ponto, você tem razão: tem muita gente no Setor VISA que faz isso. Mas isso NÃO é coisa de torcedor da elite. Isso é coisa de torcedor de todo o tipo. A diferença é que no VISA, ninguém reprime esses caras, enquanto que na Mancha, imagino eu, qualquer vaia durante o jogo deva ser reprimida por aqueles torcedores mais inteligentes. Bom, eu reprimo esses caras? Não. Cada um faz o que quer. Eu respeito.
Deixa essa numeração pra lá... já perdi o fio da meada, deixe-me apenas complementar com isso: vou gostar da MV no dia em que vestirem camisas do Palmeiras, que cantem músicas que digam que "o Palmeiras é guerreiro". Ao invés de "Porra, Caralho, Puta que o Pariu, Palmeiras..." que depois ainda virou "Porra, Caralho, Mancha, Palmeiras..." Isso não é torcer.
Um abraço e desculpa pelo tamanho do comentário (pra vc e pra todos os outros leitores).
Felipe

Nicola disse...

Enquanto você estava aí torcendo, no lugar filmado neste vídeo, meu pai me levava na cadeira descoberta. Eu devia ter uns 5, 6 anos. Não me lembro do placar do jogo, do adversário, nem dos gols. Só lembro de ter exatamente essa visão da arquibancada, e a torcida cantando o hino seguido de "Palmeeeeeeeeiras!..".

Toda vez que vejo esse vídeo me lembro de uns 2 jogos de quando eu era bem criança mesmo. Só. Que eu lembro exatamente, considero meu primeiro jogo, foi a final da Libertadores de 2003, Santos x Boca no panetone.

Tive a sorte de assistir a uns 15 jogos (mais ou menos) nesse lugar maravilhoso que era a arquibancada, onde se tinha a mesma visão das numeradas. Acho que era algo único no mundo, pelo menos levando em conta os times grandes.

Parabéns pelo texto cara... Abraço.

Rodrigo Firmani disse...

Barneschi, primeiro de tudo, parabéns pelo blog. Gostei muito do seu post anterior sobre a "alma da Libertadores", coisa que - também concordo com você - faltou ao nosso time ontem. Leio sempre que tem um post novo porque a sua visão sobre a arquibancada é interessantíssima e a sua redação é clara e brilhante.

Também como você sou um palmeirense doente, frequentador de estádio há mais de 20 anos. A minha grande divergência com você é a respeito dessa "divisão" que você cria com os rótulos de "torcedor de verdade" e "idiotas de boné branco".

Antes de tudo, não sou frequentador do espaço Visa. Já visitei, gostei bastante mas prefiro a arquibancada. Iria outras mil vezes se fosse preciso, porque o grande conforto, pra mim, é comprar ingresso com cartão de crédito, sem tirar a minha bunda da cadeira do escritório. Inclusive, prefiro mil vezes pagar mais caro pelo Visa do que comprar de cambistas, quando não posso me deslocar pra comprar na bilheteria. Concordo plenamente com você a respeito da BWA e do tratamento dado ao torcedor que se posta diante da bilheteria (mas isso é outro assunto).

Grande parte da mídia palestrina de hoje postou coisas sobre os "torcedores de merda". Eu sou contra essa segmentação e acho isso extremamente nocivo. Torcedor é tudo igual. Um é mais entusiasmado, outro reclama, um chora, outro berra. Acredito que temos de respeitar todos eles. E não entendo o setor Visa como um setor de "alienados". Lá também tem de tudo. O Vicente do 3VV é um frequentador assíduo (com nome nas cadeiras e tudo) e não é menos palmeirense que eu e você.

Nos tempos em que a organizada ficava no lugar do Visa, a pressão era maior, juntava mais gente, a festa era mais bonita. Concordo. Mas, você também tem de concordar que a presença da organizada por ali afujentava o torcedor não organizado, que tem o mesmo direito que qualquer um, porque pagou por isso.

Não entro na pilha dos juquinhas de que nas organizadas só tem bandido. Lá também tem de tudo. O bom torcedor, o mau torcedor, o bandido e o trabalhador (como em qualquer casta da sociedade, inclusive).

Essa segmentação, esse preconceito com quem pode pagar uma numerada ou um setor Visa, é bobagem. Quem reclama no Visa, vai reclamar em qualquer lugar. E quem torce na arquibancada, vai também torcer no Visa.

Acho que entendo a sua visão. Você cresceu naquele espaço, junto da Mancha Verde e, de uma hora pra outra, viu-se obrigado a sentar em outro lugar. Mas, nem por isso, vamos generalizar o torcedor que hoje está lá lugar que antes era seu.

Mesmo com os "corneteiros" não faltou apoio ontem. Eu estava lá, no setor vermelho da arquibancada. Do meu lado também tinha corneteiro, tinha quem vaiava, tinha quem reclamava.

Isso só mostra o quanto somos únicos e o quanto as nossas diferenças enquanto torcedores nos fazem mais forte.

Quem segmenta o torcedor Visa dos "torcedores de verdade" faz igual ou pior os mesmos que você chama de alienados. Se "elitiza" diante de uma superioridade que não existe.

Mas, é isso aí. Obrigado por me deixar expressar a minha opinião aqui no seu espaço.

Continuarei lendo o seu trabalho sempre porque, repito, respeito demais. Mas peço que também pense a respeito do que escrevi.

Deixo meu email se você desejar entrar em contato. Um abraço

Rodrigo Firmani
rfirmani@hotmail.com

Brunno Seneguini disse...

O que acontece é que uma nova torcida passou a ir ao estádio, uma torcida muito parecida com a dos bambis que só vai quando o time está ganhando.

Eles não sabem, mas acabam prejudixando e muito o time, nós que crescemos na bancada e apoiamos os mais toscos dos jogadores, não podemos nos calar com o comportamento destes falsos torcedores.

Temos que fiscalizar pegar no pé sim e fazer nossa parte para empurrar o time. Entendam o Palmeiras não é moda, porra! Não atrapalhem o time.

Bruno disse...

Até o ritmo da música era mais cadenciado... grandes tempos.

Bruno Mazucatto.

Felipe disse...

Rodrigo Firmani, concordo 100% com você. Você expressou tudo aquilo que eu queria dizer, mas escreveu muito melhor do que eu. Obrigado. :-)

dsanna disse...

É complicada essa história... Mas quer conforto? Quer pagar mais por uma cadeira bacana, lugar marcado, sombra e água fresca? Vai na numerada ué. Pra que setor visa, setor caralho a quatro? As cadeiras numeradas sempre existiram para quem quer ficar sentado na cadeira. Simples assim. Quer colocar nome de visa, vender pela internet, ótimo. Mas deixem a "geral" pra quem gosta de ficar em pé, empurrar o time, fazer pressão no adversário mesmo e etc. Como sempre foi. Repito: as cadeiras numeradas sempre existiram no Palestra. Sempre estiveram lá à disposição de quem quisesse pagar mais por maior conforto. Esse lance de setor visa no meio da arquibancada é o "apartheid" no futebol.

Saluti.

Forza Palestra disse...

Caros Felipe e Rodrigo,

Antes de tudo, faço questão de agradecer pela audiência, pelos elogios e especialmente pela paciência de virem até aqui e exporem seus argumentos de maneira clara. É sempre bom ter posicionamentos contrários para que o debate seja proveitoso.

Dito isso, percebo que há semelhanças na argumentação de vocês, de tal forma que farei primeiro uma breve explicação do que me levou a este post para depois fazer comentários particulares.

Vamos lá:

O post nasceu não ontem, mas no sábado, quando alguns vaiaram o Marquinhos e o queimaram para o jogo de ontem. Em verdade, o post nasceu até antes e deve-se muito a uma discussão travada lá no blog do Conrado. Se vocês tiverem curiosidade, podem ir até lá e conferir.

De certa forma, este post se dirige mais aos que se dizem consumidores do que propriamente aos corneteiros.

A questão, meus caros, é que existe gente por aí que se enxerga como ‘consumidor’. Problema de quem faz isso, certo? Pois é, concordo. Mas só até o ponto em que o sujeito se sente no direito de questionar as ações de quem é torcedor de arquibancada e vai a todos os jogos, pois coloca isso como prioridade.

Como dito pelo Teo na referida discussão, se eu vou a todos os jogos e não meço esforços ou riscos para apoiar o Palmeiras, o problema é todo meu e eu encaro as conseqüências disso. O que eu não vou aceitar é que um dito consumidor venha desrespeitar a minha dedicação ao Palestra.

Portanto, o post tem um direcionamento bem claro: se o sujeito quer ser consumidor, que assim seja. Mas que ele seja tratado como tal e exerça a sua relação de consumo predatório bem longe de mim. Eu vou ao estádio para torcer e me orgulho disso. É também um problema meu, mas eu não admito que um consumidor assumido venha desmerecer o meu esforço e o meu sentimento pelo Palmeiras.


Aos pontos particulares:


Felipe:

1. Não pense, por favor, que você é um consumidor. Bastou ler um pouco do seu comentário para chegar à seguinte conclusão: você é um torcedor. Você ama o time, vai ao estádio para torcer, faz a sua parte, sofre com as derrotas, vibra com as vitórias e tudo mais. Você é um torcedor, cara, e estamos do mesmo lado.

2. Entendo, de verdade, a sua opinião sobre a Mancha. Entendo e te dou razão, pois sei que existem pessoas com esse perfil na entidade e porque sei do que eles são capazes. Você tem total razão, mas te peço que leve em conta o seguinte: a grande maioria dos manchas – e eu me incluo aqui – jamais se portaria como alguns inconseqüentes que denigrem o nome de toda a entidade. Mas eu entendo, respeito e concordo em parte com a sua opinião.

3. Admito também que o Setor Visa trouxe uma série de vantagens e acrescentou uma civilidade que é impossível com a BWA, mas eu avalio que foi um setor mal planejado, pois ele bem poderia ser instalado no lugar das numeradas, que deixaram de fazer sentido depois da sua implantação.

4. O termo ‘torcedor comum’ é uma criação da imprensa, e nunca ninguém conseguiu explicar o seu significado. Portanto, você não é um ‘torcedor comum’; você é um ‘torcedor’.

Abraços


Rodrigo:

1. Veja: quando eu falo em ‘torcedor de verdade’, talvez fosse mais correto falar simplesmente em ‘torcedor’. Mas a intenção é exatamente deixar bem claro: o sujeito que se comporta como consumidor – e eu creio ter deixado isso bem claro no texto – não é torcedor.

2. Como você já deve ter notado, este blog não tem meias-opiniões. O discurso por aqui é sempre extremista, radical e por vezes áspero. É o meu jeito de encarar o futebol. É tudo com paixão, pois é isso que me liga ao Palmeiras.

3. O caso dos “idiotas de boné branco” é bem revelador para mim. Eles estavam lá no sábado e ontem também. Eu confesso: não sei quem são. Disseram que estão lá como parte de um programa de relacionamento de uma empresa ou coisa assim. Ou seja: estão lá porque ganharam os ingressos de presente e não porque efetivamente foram atrás disso. E o que me incomoda, mais do que aquele maldito boné branco, é a passividade dos caras, que pareciam incapazes de levantar a bunda da cadeira mesmo nos lances mais agudos. Admito: eles concentraram toda essa minha indignação.

4. Você e o Felipe podem ter razão quando dizem que a segmentação é ruim. Talvez seja mesmo, mas eu não ficaria em paz se não exercesse o meu direito de colocar aqui a minha opinião. E ela precisaria ser radical, porque o jogo de ontem foi bastante demonstrativo de como certos segmentos da torcida podem atrapalhar o time durante o jogo.

5. Eu não concordo quando você diz que a torcida organizada afugentava o torcedor não-organizado. Este último sempre esteve lá, mas então ficava em lugares distintos. O que o Visa fez é criar um novo tipo de público, que não vai ao estádio para torcer, mas para consumir. É este o ponto central da minha argumentação.

Obrigado por entender minha visão e pela participação aqui.

O espaço está aberto.

Abraços

rafael, da silva disse...

Sensacional o post!

mas uma vez está de parabéns!

Duas coisas:

- em 97 as marias perderam os 3 primeiros jogos....ganharam os outros 3, classificaram no sufoco e foram campeãs...isso mudou um pouco meu pensamento em relação ao comentário de ontem...

- que caralho a merda do ixpot tem??? vai toma no cu! acho que essas porras de ldu e colo colo tão de sacanagem com a gente!


abs

Junior disse...

Cara, confesso que só consegui ter coragem de acessar os blogs e sites agora.

Seus 2 posts sintetizam muito do que penso.

Sobre o espírito, o time tomou apenas 1 cartão amarelo no jogo. Não preciso prolongar o assunto.

E sobre o maldito setor das cadeirinhas, como disse nosso amigo Giocondo, ser bandeirinha ao lado do VISA é o melhor trabalho do mundo. Ninguém te enche o saco.

Lembro-me de ter observado e apontado exatamente isto após um fdp de preto ter anulado um gol legal do Lenny no sábado passado. Porém, ninguém sequer levantou para xingá-lo.

Domingo estaremos lá, atrás do gol. Certamente em minoria (admito preferir assim), mas apoiando o time sem parar. Estou com seu ingresso.

Abs!

Sandro Cachiello disse...

Grande Barneschi,
Grande post, lindo video. Saudades deste tempo.. e o pior, saudades do tempo em que o Palestra realmente tremia, era um caldeirao, temido pelos adversarios.
Nao que hoje nao tenhamos ainda os gritos euforicos e apaixonados da nossa torcida, mas todos eles abafados e ignorados pela "venda" do nosso historico e temido espaco a empresa que oferece "todas as outras (coisas)".
Viva a arquibancada.

Anderson Ugiette disse...

barney acabei de chegar da ilha do retiro... to com a adrenalina à mil e por isso não vou me estender demais...
só vou dizer que CONCORDO COM tudo que vc disse...

se tem culhões vá ao estadio, se não, FIQUE EM CASA!!!

FORZA PALESTRA E PELO SPORT TUDO!

ps: "apartheid do futebol" é o termo correto!!!
ps²: CADÊ O LUIGI???

Anderson Ugiette disse...

barney, já que perguntaram sobre o SPORT eu vou responder por ter estado no campo...
o que o SPORT tem e tá faltando no PALMEIRAS é o espirito que o barney falou a uns dois posts... GARRA!!! SANGUE!!!

isso tem que estar em campo!!!

abraços

se tem culhões vá ao estadio, se não, FIQUE EM CASA!!!

FORZA PALESTRA E PELO SPORT TUDO!

PS: mas, serio, CADÊ O LUIGI???!?!?!

pedro disse...

Parabéns ao Barneschi. E dou o parabéns pela qualidade dos comentários do Rodrigo e do Felipe, com quem concordo plenamente. Quando um blog consegue atrair gente boa para expor um ponto de vista divergente do dono do Blog, o dono está de parabéns! (E isso a despeito -ou será por causa? - de toda a radicalidade do Barneschi que não mede as palavras mas fica sempre do lado
de cá da civilidade).

Os dois já expuseram as razões que os levam (e a mim, e a uma infinidade de outros torcedores...) a procurar o VISA, q quando frequentávamos a arquibancada não termos uma identificação enorme com a mancha e etc... E digo que somos a maioria no VISA (embora ultimamente a coisa piorou, nos primeiros jogos em que fui no VISA eu me sentia muito mais em casa). A semi final contra o São Paulo ano passado foi um marco: o VISA foi excelente. E pode continuar a ser assim (aliás vou parar de chamar de VISA, pau no cu do VISA).

Sugiro a alguém mais jovem do que eu ou com mais pique (talvez o Conrado, que eu sei que lê por aqui) algum tipo de movimento do torcedor deste setor para nos resgatar. Ano passado teve o episódio dos apitos e bixigas, combinamos via internet de levar apitos e bixigas para fazer festa: até foi bem sucedido mas a polícia vetou...

E que o Barneschi continue exercendo aqui seu direito de espernear e reclamar dos "alienados" que tomaram seu espaço.

A nós, que frequentamos o espaço, cabe torná-lo melhor frequentado. Não podemos deixar que o pessoal do boné seja maioria! Devemos mostrar que é um espaço para torcedor e não apenas consumidores. Vamos ao estádio para torcer, consumir é consequência (ou não, gasto pouquíssimo com periféricos...).

Abraços,
Pedro.

PS. Não fui na libertadores. Mas fui contra o guarany.

Forza Palestra disse...

Pedro,

Muito obrigado pelo comentário, pela audiência e por compreender a proposta e os ideais que me fazem escrever aqui dia após dia.

Abraços

Rafael disse...

Mais um ótimo texto. Concordo plenamente.

Esse vídeo é de que ano?

don vitotti disse...

q venha a garra e o sangue do ixpót.

aqui é PALMEIRAS!!!

Norberto disse...

Caro Rodrigo,

Raramente comento no seu blog mas sempre o acompanho...

Muitas vezes concordo com seus argumentos poucas vezes discordo...

Qto e "elitização" do futebol, sempre converso sobre o tema com meu amigo Luiz de Uberlândia e apesar de achar um absurdo abaixo a cabeça pois sua chegada é inexorável.

Sou Palmerense, palestrino, tenho uma história não só vida mas dos meus antepassados Italianos que fizeram o Palmeiras ser o que é hoje.

Concordo que é absurdo o que se faz pelo vil metal, mas infelizmente nesse mundo hoje tudo está a venda...

Daqui a pouco vão querer vender até nossas bundas...

Apesar de apaixonado e ter o Palmeiras/Palestra como único clube em minha vida,confesso q a distancia q vivi de São Paulo me impediram de viver o estádio como vcs viveram..

Mas tenho uma coisa a dizer, os "visadinhos" podem apenas ser comnsumidores e avacalhraram o conceito de torcida, mas os loucos enraivecidos da MV não me orgulham em nada...

Existe uma distoração entre torcer e ser violento a qualquer custo que sempre discordarei...

Ter o sangue verde, não quer dizer q vc precise participar de "torcida organizada"...

Abraços Palestrinos.

coelho disse...

Amigos, outro dia li na comunidade do Palmeiras sobre a força da internet, a força da comunidade, força essa demonstrada naquelas votações ridículas promovidas pela "toda poderosa". Por isso acho que vai partir novamente daqui uma nova atitude dos palmeirenses, atitude de cobrar apoio daqueles que só cobram. Como bem disse o palmeirense Pedro: "temos que fiscalizar uns aos outros". A maioria tem que entender que apoiar trará um benefício maior do que a crítica.

Parabéns a todos.

don vitotti disse...

concordo 100% com o post, não era por menos, afinal, sobre esse assunto, eu já tinha falado há um bom tempo q ia dar merda essa merda de setor visa, assim como toda arena...na época, fui chamado de não amar o PALMEIRAS e não qrer que o msm evolue...mas tá bom.

Anderson Ugiette disse...

ih, será que pegou mal??
bem don vitotti, quando eu falo que o SPORT tem sangue e guarra, e o PALMEIRAS não está colocando esses atributos em campo, não quis dizer que o SPORT é melhor ou pior que o PALMEIRAS por isso... até por que o plantel do PALESTRA é bem melhor tecnicamente que o do SPORT...
mas, o SPORT tem um milhão e meio de jogadores experientes e que dão o sangue em campo...
o PALESTRA tem muito menino em campo... e nenhum deles tem o espirito FELIPÃO que o barney falou a 2 posts atrás...
enfim, abraços!

e tem culhões vá ao estadio, se não, FIQUE EM CASA!!!

FORZA PALESTRA E PELO SPORT TUDO!

ps: "apartheid do futebol" é o termo correto!!!
ps²: CADÊ O LUIGI???
ps³: sería o don vitotti, o novo luigi????

MANCHA IPIRANGA disse...

MATOU A PAU!!!!!!!!

Vitor MV disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitor MV disse...

Barneschi, perfeito, concordo com tudo o que você disse e também respeito a opinião dos amigos que não são da Mancha, e logo tem visões um pouco diferente.

Tudo que eu penso está escrito aqui na minha foto>>>>>>
"ODIO ETERNO AL CALCIO MODERNO"

Essa torcida é de um time italiano que eu não me recordo o nome agora. Para mim, setor VISA, e todas essas coisas se incluem na elitização do futebol e no chamado futebol moderno, que sou extremamente contra, porque sei que isso mais cedo ou mais tarde, vai trazer muito prejuízo, influenciando a cabeça principalmente das crianças(que hoje já são influenciadas por winning eleven's da vida).
Gostaria muito que aqui no Brasil acontecessem protestos como os que aconteceram nos estádios da Itália, logo que essa merda começou, e gostaria que as torcidas organizadas daqui resistissem como algumas de lá que até hoje nadam contra a maré, mas não deixam sua honra e sua alma serem compradas.
Aos amigos segue o link do site:

www.noalcalciomoderno.it

*Hoje em dia, em alguns estádios do Brasil não se pode nem levantar uma bixiga,muito menos acender um "sinalizador".

Abraços,

Forza Palestra disse...

Rafael:
Não sei te dizer com certeza. Deve ser algo entre 1991 e 1994. Coloquei aqui porque já recebi o vídeo algumas vezes.

Vitor:
Sábias palavras.

Norberto:
Eu não vou me conformar, por mais que alguns queiram colocar essa batalha como perdida. Eu vou continuar lutando.
Por sinal, eu nunca disse que é preciso ser da Mancha Verde ou de qualquer outra organizada para ter o “sangue verde”. Sequer usei essa expressão.

Coelho:
É bem por aí...

palestra1914 disse...

Barneschi , o Setor Visa deveria ter sido feito onde são as numeradas descobertas.

De resto , foi tudo perfeito!

Abraço ,

Bruno D'Angelo.

Zoinho centro/sul disse...

CAra como tinha dito a uns posts atras acho que naum tem jeito cara, vai rolar eletização, vai ter lugar de boy no estádio e está certo. Se tem nego querendo pagar, que cobrem. O que naum pode é pegar o espaço e distribuir para imbecis, como foi feito e como deve ser feito nos camarotes, onde a maioria nem Palmeirense é mas vai pq é na faixa e a empresa arrumou.
No mais acho que o setor Visa é caro, pq tem quem pague, pq nego toma chuva do mesmo jeito, se eu tivesse grana ia de coberta, sequinho sempre.
E só para finalizar meu pensamento, o setor Visa das meninas foi vendido a R$ 15 por jogo da libertadores e ainda deram na faixa contra os galinhas, pq ??
Pode ter certeza que naum é pq são bobos, pq perceberam que a torcida dos caras não vão, ai tem que fazer promoção para não morrer com lugar vazio.
No mais ...

Vitor, vc é extremamente chato !!

Abraços

Zoinho centro/sul

Wilson disse...

aposto q vc só escreve essas merdas pq nao tem $$$ pra ir no visa..... se tivesse ia achar o maximo

Anderson Ugiette disse...

ai meu Deus... mais um alienado de plantão... "se vcs tivessem grana pra ir no visa iam achar o maximo!!"
sinceramente...
fodam-se os consumidores!

Franco disse...

meio offtopic mais sintetiza o outro post....

http://www.youtube.com/watch?gl=BR&hl=pt&v=9TQl3SrxbX0

Anakin disse...

OLÁ BARNESCHI.

LI SEU TEXTO E FIQUEI COM UMA DUVIDA.

O QUE INCOMODA VC É O FATO DO SETOR VISA OCUPAR O LUGAR ONDE OUTRORA A MANCHA OCUPAVA OU PORQUE O LUGAR AGORA É OCUPADO POR PESSOAS QUE GOSTAM DE UM POUCO MAIS DE CONFORTO E POR ASSIM DIZER SÃO CHAMADOS DE CONSUMIDORES E NÃO TORCEDORES ?

QUERO LEMBRAR QUE O SETOR VISA FOI CRIADO APENAS PARA AMPLIAR A CAPTAÇÃO DE RECURSOS E NÃO PARA DAR MAIS CONFORTO AOS TORCEDORES.

SOBRE A QUESTÃO DO SETOR VISA,QUE DEVERIA TER SIDO COLOCADO EM OUTRO LUGAR DO ESTÁDIO NÃO FARÁ TANTA DIFERENÇA ASSIM EM BREVE.

VC QUE,EM SEU PERFIL DIZ QUE FOI QUASE 600 VEZES NA ARQUIBANCADA DE CIMENTO ( E EU ACREDITO EM VC ) DAQUI A POUCO TODA A AQUIBANCADA SERÁ "VISA".

QUANDO A ARENA PALESTRA ESTIVER PRONTA.

SOBRE A MANCHA,COM RESPEITO AS EXCESSÕES,ESPERO QUE QUANDO A ARENA ESTIVER PRONTA OS INTEGRANTES DA ORGANIZADA NÃO CONSIGAM FICA JUNTOS NO ESTÁDIO,AS ARQUIBANCADAS SERÃO NUMERADAS E NÓS SENTAREMOS NA CADEIRA QUE COMPRARMOS SEM SER EXPULSOS PELA MAIORIA MANCHISTA.

NÃO SOU UM ANTI PALMEIRENSE,AMO O PALMEIRAS COMO POUCOS.

JÁ PERDI EMPREGO PARA IR AO ESTÁDIO,JÁ PERDI NAMORADA POR PREFERIR VIAJAR EM CARAVANA PARA VER OS JOGOS, DO QUE FICAR COM ELA.

JÁ VIAGEI 1300 KM PEDINDO CARONA
( A FASE FINANCEIRA NAQUELA ÉPOCA ESTAVA COMPLICADA),JÁ DEIXEI MEU ALUGUEL ATRAZAR 2 MESES EM 2000 PARA VER A FINAL DA LIBERTADORES ENTRE O VERDÃO E O BOCA.

NÃO GOSTO DA MANCHA E ELA NÃO DEVERIA EXISTIR PRO BEM DO PALMEIRAS E DO FUTEBOL,NÃO SÓ A MANCHA,MAS TODA E QUALQUER TIPO DE TORD=CIDA ORGANIZADA.

ABRÇO

Jefferson disse...

Caro barneschi: TEXTO SIMPLESMENTE EXCELENTE!! Só quero acrescentar uma coisinha: contra o colo colo eu estava na arquibancada perto da divisão com a descoberta e alí tava igualzinho o VISA. Era amendoim e pistache pra tudo que é lado, vaiando tudo e todos. Acho que são viados frustrados que acham que o jogo do Palmeiras serve pra desestressar qualquer recalque. Sugestão pra eles: Em vez de irem ao estádio vão pro bamboa e tentem achar uma puta tricolor pra comer com raiva...opa..esqueci que os amendoins gostam de outra coisa...

ARAGONEZ

Renato disse...

Barneschi, boa noite!
Já acompanho o blog há cerca de 5 meses, porém ainda não havia publicado nenhum comentário, pois realmente aqui no trabalho é complicado.
O motivo do comentário é quanto a nota divulgada no site oficial do Palmeiras, referente a um comunicado de Belluzzo à maldita BWA, a seguir:

Em decorrência dos últimos acontecimentos envolvendo a compra de ingressos no estádio Palestra Itália, quando foi constatada a formação de enormes filas em razão da diminuta oferta de guichês de atendimento, e com o objetivo de garantir o máximo respeito e o melhor atendimento ao torcedor palmeirense, o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo encaminhou notificação formal à empresa BWA, fornecedora do serviço de comercialização de ingressos, determinando que a mesma disponibilize, a partir da próxima partida da Sociedade Esportiva Palmeiras a ser realizada no Palestra Itália, atendimento para venda de ingressos em todos os 25 guichês existentes no estádio, no horário de 8h às 18h, e em 10 guichês, no horário de 18h às 20h.

Assessoria de Imprensa


Agora espero que as exigências sejam adotadas.

Abraços!

Nicola disse...

Concordo em parte com o Felipe e o Rodrigo. Meu pai, é um torcedor desse tipo. Ele simplesmente gosta de assistir o jogo, de vez em quando vibra ou xinga o juiz. Claro que existem vários tipos de torcedor, eu mesmo na arquibancada costumo cornetar alguns jogadores, o técnico, xingar o juiz e jogadores adversários, enfim, canto na maior parte do tempo, sempre ao lado da Mancha, mas também paro em alguns momentos.

Ano passado fui assistir a alguns jogos no Visa. Uma coisa é fato, não dá pra torcer, como nesse belo vídeo que o Barneschi colocou no post. O sistema de venda é perfeito. Pra mim, poderia ser estendido até a arquibancada.

Mas o estádio fica uma merda, com metade dele, ou até mais, ocupados por torcedores que nçao se comportam como as organizadas. E justamente nos lugares onde se pode fazer mais pressão na arbitragem e nos adversários. No caso do Palestra, é ainda mais difícil aceitar essa situação, pois sabemos como ele já foi, e na minha opinião não deveria deixar de ser.

Mesmo com a Arena vindo aí, pra mim o lugar onde fica o Visa e a atual arquibancada, deveria no máximo ter seu ingresso custando R$20, e com aquelas cadeiras que tem no Maracanã, pro torcedor ir e ficar de pé, cantando e pulando como aí no vídeo. E se ninguém no Palmeiras tomar providências para que isso ocorra, só posso concluir que lá só existem um bando de imbecis que não sabem o poder que tem a arquibancada. Não sabem PORRA NENHUMA de futebol, só querem é dinheiro. Então que morram.

Quer ver o jogo sentado, ter mais conforto? Beleza. Mas torcedores como nós, de arquibancada, não podemos pagar por isso. E a verdade é que sem nós, sem a arquibancada, o futebol não é o mesmo. Ou melhor, não é futebol.

Pense no jogo de domingo, com duas torcidas cantando como no vídeo. Palmeiras e Corinthians. Será que não muda nada pro jogador? É só dinheiro? Pau no cu de quem pensa assim. Como eu disse num post anterior, tornaram isso inimaginável.

Arquibancada com preço entre 30, 40reais, quando no começo da década de 90 chegou a custar 6. Sistema de venda de ingressos definitivamente planejado pra afastar o torcedor. Esquemas com cambistas descarados. Quem foi ao Palestra na terça viu isso, só pra mim aparecendo uns 20 cambistas perguntando se eu queria comprar ingresso. 23mil pagantes? 27mil a venda? Que porra é essa? TUP e Mancha cantando uma coisa cada uma, 60% da arquibancada não acompanhavam nenhuma organizada. Organizada? Para o que? Eu canto com a Mancha, porque a arquibancada inteira não? Por que a torcida do Palmeiras não é tão fanática quanto eu? Mas o vídeo tá aí pra provar o contrário. O que aconteceu? Tão elitizando tudo, e fodendo com o TORCEDOR, pra no final das contas encherem o estádio com 42mil imbecis de boné branco. Quando, pelo espaço, daria pra colocar fácil uns 70mil pelo menos. Fato. Quem quer isso? Emissoras de TV, empresas como Visa, gente de dentro do clube, federações... Não querem que o futebol seja um esporte para o povo. E atualmente não é mesmo, pelo menos como era nos tempos desse vídeo.

Desculpem pelo comentário tão grande, mas precisava dizer tudo isso pra expressar minha opinião.

Não sou contra quem vai no Visa, talvez contra alguns idiotas como o Conrado exemplificou num post no blog dele... Mas no geral, contra essa situação, esses tempos que vivemos hoje, com relação a arquibancada, torcida, elitizações, enfim.

Pedro Pellegrino disse...

Texto du caralho! Também aprendi a torcer vendo a Mancha da numerada quando eu era pequeno, e meu pai me levava. Desejava estar ali no meio cantando. Quando consegui realizar isso foi umas das melhores coisas da vida. Nunca me esqueço um dia que a Mancha fez protesto e não entrou no estádio, eu junto com uns caras lá conseguimos puxar várias músicas, foi uma sensação inesquecível. Uma pena terem feito esse setor Visa no meio. Acredito que com a Arena a nossa força da torcida vai crescer, porque quem quiser ficar sentado cornetando ficará,e as organizadas terão seu lugar de destaque. Grande abraço e a espera do livro do Barneschi, rsrs.

Vitor MV disse...

Anakin, o dia que isso acontecer-todas as organizadas acabarem-o Palestra vai ficar parecendo um cemitério, ou um teatro, jogo de tênis coisas desse tipo, com pelo menos uns 15 ou 20 mil sem alma que só vão bater palmas e vaiar o time,´é pena que muitas pessoas como você tem o pensamento de Flávios Prado da vida, querer mais segurança é até aceitável, agora querer CONFORTO não dá, daqui a pouco alguns vão querer ao invés de CADEIRAS que tenhamos POLTRONAS RECLINAVEIS no estádio né? Pelo amor de Deus...

Forza Palestra disse...

Anakin,

Muitas coisas me incomodam. Há a questão particular, admito, pois aquele era o meu lugar desde sempre. Mas isso não é o principal. A minha preocupação maior é sempre com o Palmeiras, e eu realmente entendo que a criação do Setor Visa foi prejudicial no sentido de reduzir a pressão sobre os adversários e de inserir no estádio um tipo de público que realmente pensa apenas em consumir e nunca em torcer. Por sinal, eu não gostaria de me referir a esse pessoal como ‘torcedor’, mas são eles que se posicionam dessa forma. Eles se posicionam como consumidores e eles agem como consumidores. Ponto.
Eu não sei qual é a sua visão de mundo, mas você não entende porra nenhuma de futebol. Porra nenhuma! Porque você simplesmente não considera o futebol como uma manifestação popular, como um esporte que existe do povo, pelo povo e para o povo. E aí fica pregando esses ideais de Flavio Prado, de que torcida organizada não deveria existir e o escambau. Pra fechar: nós sempre estaremos no estádio. Sempre. De forma organizada ou clandestinamente, mas estaremos lá. E somos nós que empurramos o time à vitória. Pode ficar tranqüilo: com cadeirinha numerada ou sem ela, nós estaremos lá. E faremos a festa que vocês, consumidores, acham tão bonita.

coelho disse...

Juventude Parmerista ou Juventude Palestrina - seria esse o nome do movimento - sim, um movimento de torcedores frequentadores dos lugares mais nobres do estádio - objetivo: Apoiar o Palmeiras, ser um contraponto e tentar blindar o time do "fogo amigo".

* não relacionem o nome com a juventude hitlerista, por favor.

* medo, tensão e nervosismo temos que transmitir aos adversários, portanto, chega de fogo amigo.

* acredito que qualquer ser humano renda muito mais num ambiente que transmita a ele segurança, confiança e apoio. Terça-feira passada...

Grande abraço a todos aqueles que sabem que a Gloriosa Sociedade Esportiva Palmeiras é mais que um time.

Luciano Coelho

Luciano Coelho

Anônimo disse...

Adoro quando você escreve assim. E concordo, 'da vero'. Aliás, o assunto me lembrou de uma cena de My Fair Lady, por incrível que pareça. Beijo P.S.: Vida longa ao trema!

Wilson disse...

VOU REPETIR MEU COMNTARIO PQ QUERO VER UMA RESPOSTA:

aposto q vc só escreve essas merdas pq nao tem $$$ pra ir no visa..... se tivesse ia achar o maximo

Anderson Ugiette disse...

o alienado ainda se acha digno de resposta....
onde o mundo vai parar??

cruzdesavoia disse...

Não dá para responder: conheço Barneschi pessoalmente e sei que ele desconhece a linguagem dos jumentos.

Anakin disse...

PRIMEIRO BARNESCHI.

SINCERAMENTE FIQUEI DECEPCIONADO COM SUA RESPOSTA.

ACOMPANHO SEU BLOG A MUITO TEMPO E QUANDO ALGUEM DISCORDA DO SEU TEXTO ,VEM PORRADA.

SUA RESPOSTA COM CERTEZA É DE UM MANCHISTA QUE SE ACHA DONO DO ESTÁDIO E DO PALMEIRAS.

MAS NÃO SE PREOCULPE,QUANDO A ARENA ESTIVER PRONTA VC E TODOS DA MANCHA PODERÃO VOLTAM À AQUELE LUGAR QUE OS MANCHISTAS TOMARAM A FORÇA DO REAIS TORCEDORES DA PALMEIRAS,AFINAL NÃO HAVERÁ ALAMBRADO NA ARQUIBANCADA.

QUANTO AO FATO DE SER CONSUMIDOR,EU SOU, E VC É TAMBÉM.

VC PAGA PELO INGRESSO ?

VC COMPRA CAMISAS E PRODUTOS OFICIAIS DO VERDÃO?

VC É SÓCIO E PAGA MENSALIDADE ?

TUDO ISSO VC FAZ E EU TAMBÉM.

ISSO NÃO FAZ VC UM CONSUMIDOR ?

SOU TORCEDOR E PELO FATO DE PAGAR MAIS DO QUE OUTROS NÃO EXCLUI MEU AMOR PELO VERDÃO E SER VERDADEIRAMENTE UM TORCEDOR.

A MANCHA NÃO RESPEITA NINGUÉM A NÃO SER A SI MESMA.

JÁ VI PESSOAS ROLANDO ARQUIBANCADA A BAIXO.SIMPLISMENTE PELO FATO DE NÃO SER MANCHISTA.PESSOAS QUE CHEGAM HORAS ANTES DO JOGO PARA CONSEGUIR UM LUGAR BOM NO ESTÁDIO.AQUELE MESMO ESPAÇO QUE VC REINVIDICA PRA VC E PARA A MANCHA E NÃO PARA OS TORCEDORES.

PARA ENCERRAR PREFIRO PAGAR MAIS CARO E LEVAR MEU FILHO DE DOIS ANOS NO VISA ONDE PODEREI SENTAR NUMA CADEIRA DO QUE FICAR NA ARQUIBANCADA ONDE A MANCHA PASSA POR CIMA NÃO IMPORTA SE É CRIANÇA OU IDOSO.


SEGUNDO VITOR MV:


SEU COMENTÁRIO FOI O MAIS PATÉTICO QUE EU LI NA MINHA VIDA.

VC DIZER QUE O PALESTRA VAI SE TORNAR UM CEMITÉRIO SE A MANCHA NÃO EXISTIR É UM ARGUMENTO DE ALGUÉM QUE AMA MUITO MAIS A MANCHA DO QUE O PALMEIRAS.

O PALMEIRAS SEMPRE FOI FORTE ANTES DO NASCIMENTO DA MANCHA E CONTINUARÁ SE UM DIA SE DEUS QUISER ELA ACABAR.

VC ACHAR QUE É UM ABSURDO QUERER MAIS CONFORTO NÃO ME CONVENCE NEM UM POUCO.

COMENTÁRIO DE QUEM NÃO TEM DINHEIRO PARA BUSCAR UM LUGAR MELHOR NO ESTÁDIO.

OU SERÁ QUE VC GOSTA DE FICAR EM BAIXO DO SOL DUAS OU 3 HORAS.
VC GOSTA DE FICAR NA CHUVA ESSE MESMO TEMPO?

QUERER CONFORTO É UM DIREITO DE QUALQUER PESSOA SEJA ONDE FOR.

NO ESTADIO,NUM RESTAURANTE NO CINEMA OU ATÉ MESMO EM CASA, OU SERÁ QUE VC GOSTA DE DORMIR NO CHÃO ?

PARA ENCERRAR VC AMA TANTO A MANCHA QUE SE AUTO INTITULA VITOR MV.

SE EU FOSSE INTEGRANTE DA MANCHA EU ME CHAMARIA ANAKIN PALMEIRAS.

Ivo La Puma disse...

Olá Barneschi! Beleza? Queria lhe parabenizar pelo texto, belo! Quanto ao teor, à finalidade dele, bem, eu vejo a coisa de outro modo. Eu vejo a força do capitalismo influindo e modificando o nosso futebol. O futebol, hoje, é um negócio e como todo negócio, necessita dos consumidores. O Setor VISA é fruto disto. Essa "elitização" do futebol é outro fruto dessa mesma árvore. Frente a isso, o que nos resta fazer? Eu ainda não sei. O que sei é ser torcedor não implica em deixar de ser consumidor, e vice-versa. E o que eu suspeito é que ser torcedor é o que ainda pode salvar o futebol - ou melhor, salvar a arte, a arte do futebol. Um forte abraço! Ivo

Bruno Theodoro de Aquino disse...

A tendencia é o setor visa estar em todos os estádios particulares do Brasil ...

Nicola disse...

"COMENTÁRIO DE QUEM NÃO TEM DINHEIRO PARA BUSCAR UM LUGAR MELHOR NO ESTÁDIO."

Isso nem dá pra chamar de patético; é lamentável.

Difícil entender? Que graça teria o futebol sem arquibancada, gente que canta durante o jogo inteiro (as vezes até mais)? Entendo seu lado, pra levar crianças ao estádio, ou mesmo assistir ao jogo sem cantar, apenas acompanhar a partida, eu respeito quem faz isso. Não me acho "mais palmeirense" que ninguém.

Só que é um absurdo, ter um espaço (atual Visa e numeradas) onde dá pra colocar 30mil pessoas que se comportariam como essas aí no vídeo, e deixá-las atrás do gol, pra nesses lugares ficarem palmeirenses que querem assistir o jogo. E claro, também um monte de idiotas que ficam o tempo inteiro xingando jogador do Palmeiras, gente insuportável, como o Conrado colocou em seu blog. Há diferentes tipos de torcedor em qualquer setor do estádio. A diferença, é que na arquibancada, pelo menos há algum tempo atrás, todo mundo era igual. Tava lá pra cantar e tempo inteiro, e só. Isso que tanto apreciamos, achamos essencial. Infelizmente esse espaço foi extremamente reduzido.

Já fui no Visa. A visão é legal, sistema de compra também, muitas facilidades... E naquele lugar não se faz pressão nenhuma nos juízes e nos adversários. Tampouco serve de incentivo para os jogadores do Palmeiras. Questão de alma, como o Barneschi costuma dizer. Gostamos de ficar em pé durante toda a partida, pulando e cantando, sair de lá quase sem voz e por vezes até com as panturrilhas doendo. Só que tem gente que não entende isso. E tem idiotas que desprezam.

Anônimo disse...

Pelo visto, o Sr. Barneschi não é contra a elitização da melhor parte da arquibancada - contanto que a elite seja ele e a Mancha Verde, e não o cidadão comum que não anda em grupo.

Paulo D. Prado

Forza Palestra disse...

Anakin:
Por que a decepção? Eu simplesmente expressei e defendi a minha opinião, assim como você.
De resto, se você tiver um pouco de capacidade de interpretação de texto, vai entender a diferença essencial entre 'consumidor' e 'torcedor'. Assim sendo, não preciso voltar ao tema. Apenas digo que felizmente não sou consumidor e que não quero porra nenhuma de conforto. A relação que eu tenho com o Palmeiras envolve sentimento e não consumo.

Prado:
Voltou a fazer graça? Vai tomar umas aulas com o rockwood e depois a gente volta a se falar.

Wilson:
Não dá mesmo pra perder tempo com um imbecil como você.

pedro disse...

Barneschi,

Uma vez, conversando com um amigo São Paulino ele me perguntou se eu iria preferir que meu filho fosse Corinthiano a São Paulino. Disse que meu filho é palmeirense, que eu acho que vou passar isso a ele. Ele insistiu. Já que a conversa era hipotética e simbólica dei a resposta que ele esperava: se conseguir passar a ele o que penso sobre futebol ele não será São Paulino. Continuando no simbologismo ele comentou: pois é, você também gosta de sofrer como os Corinthianos.

Não gosto de sofrer. Detesto sofrer, por mim o Palmeiras ganhava todas. Mas não ganha (Maldita realidade! Por que o mundo não é cor de rosa?). E quando perde eu sofro. E gostaria que meu filho fosse capaz de sofrer com a derrota de seu time. Não porque eu goste de vê-lo sofrendo mas porque só quem é capaz de sofrer é capaz de gostar, e eu gostaria que meu filho gostasse de futebol.

Quanto a tomar chuva no estádio, tem gente que se orgulha disso e faz questão de se molhar (e aí vai minha crítica às organizadas), tem gente que não percebe que está chovendo já que é jogo do Palmeiras. E tem cara que não entende: para que tomar chuva? Tem tanto jogo por aí... vou escolher um em que não esteja chovendo.

Abraços,
Pedro.

Forza Palestra disse...

Boa, Pedro. É por aí. Só não entendi essa parte da chuva...

Pedro Pellegrino disse...

Será que a melhor solução seria fazer que nem o Inter, Grêmio, aqueles que mais frequentam estádios terem lugar cativo? Sócio, sei lá o quê... Não sei se estou falando besteira.Mas sou contra pois qualquer pessoa tem direito de ir num jogo de futebol.

Vitor MV disse...

Anakin, já responderam por mim, de resto, meus pêsames pelo seu pensamento cretino:

"COMENTÁRIO DE QUEM NÃO TEM DINHEIRO PARA BUSCAR UM LUGAR MELHOR NO ESTÁDIO"

Vinicius Baratta! disse...

Barneschi,

nunca tinha lido alguma matéria do seu blog, apenas discuti com você no Parmerista.
Sei que é perda de tempo, mas discordo integralmente do teu ponto de vista não posso deixar de escrever ou dizer isso, onde e quando precisar.
Ser palmeirense é algo maior que ir ao estádio. O Palmeiras é maior que o Palestra Itália (tanto que esse virá abaixo e dele surgirá uma nova e moderníssima arena). Largue mão dessa bobagem de tentar rotular espécimes de palmeirenses, não somos animais em estudo.
Vai ao setor VISA o mesmo palmeirense que ia antes, quando parte da torcida (essa que pode e gosta de ser rotulada de "organizada") dominava a área.
Não generalize. Não é porque tem 1000 que passam o jogo falando bobagens que os 5.000 que vao ao VISA são idiota de boné branco.
Fui

Baratta

Conrado disse...

barneschi, aqui a gente discorda.

entendo perfeitamente seu ponto de vista, mas discordo principalmente quando voce vira o tom visceral que lhe é caracteristico contra os palmeirenses que, por circunstancias socio-economicas que nao cabem analise neste momento, frequentam o local.

se voce tem razoes para nao gostar do setor visa, e tem mesmo e concordo com algumas delas, nao tem nenhuma para detonar os palmeirenses, como eu, o teo, o giocondo, e etc, que ja foram mais ou menos vezes ao setor.

voce sabe muito bem que tipo de palmeirense é mais digno de ser criticado com toda a virulencia do mundo, e por que.

abs

Forza Palestra disse...

Baratta:
Respeito tua opinião, cara. E você não faltou com respeito lá na discussão do Parmerista! Tá tudo em casa. Mas eu realmente não entendo o que pode ser maior que ir ao estádio...

Conrado:
Beleza, cara. Eu sei que não são todos. Sei que talvez nem seja a maioria. Mas precisava registrar o desabafo aqui. Valeu!

Anônimo disse...

Como palmeinse de coração eu lamento ter que fazer um comentário sobre uma das coisas que mais me dá nojo no verdão atualmente ... a sua torcida ... Hoje em dia, quando você vê os jogos do inter ou do flamengo, você vê a beleza que eles fazem ao cantarem juntos todos a mesma musica e sente uma grande tristeza por saber que isso nunca acontecerá no verdão ... É SIMPLESMENTE A COISA MAIS RIDICULA DO MUNDO VER UM JOGO NO PARQUE ANTARTICA, ONDE A TORCIDA TEM A CAPACIDADE DE NÃO CANTAR JUNTO NEM MESMO O HINO DO CLUBE ... Se a mancha começa um cantigo, a tup começa outro, e nisso a savóia já está em outro ... É SIMPLESMNETE RIDICULO ...portamto, acho totalmente normal que exista um setor como este, que acima de tudo nos protege destes gorilas que nos expulsão do lugar onde estamos, que nos intimidam, caso estejamos cantando algo que seja contrário ao o que eles cantam e que na maior parte do tempo está gritando apenas pra ela mesma e não para o time que está em campo.

Anônimo disse...

Como palmeinse de coração eu lamento ter que fazer um comentário sobre uma das coisas que mais me dá nojo no verdão atualmente ... a sua torcida ... Hoje em dia, quando você vê os jogos do inter ou do flamengo, você vê a beleza que eles fazem ao cantarem juntos todos a mesma musica e sente uma grande tristeza por saber que isso nunca acontecerá no verdão ... É SIMPLESMENTE A COISA MAIS RIDICULA DO MUNDO VER UM JOGO NO PARQUE ANTARTICA, ONDE A TORCIDA TEM A CAPACIDADE DE NÃO CANTAR JUNTO NEM MESMO O HINO DO CLUBE ... Se a mancha começa um cantigo, a tup começa outro, e nisso a savóia já está em outro ... É SIMPLESMNETE RIDICULO ...portamto, acho totalmente normal que exista um setor como este, que acima de tudo nos protege destes gorilas que nos expulsão do lugar onde estamos, que nos intimidam, caso estejamos cantando algo que seja contrário ao o que eles cantam e que na maior parte do tempo está gritando apenas pra ela mesma e não para o time que está em campo.