18 janeiro 2010

Nosso amigo, o promotor

"Match Day/ Programa Oficial": é este o nome da revista que foi distribuída no Setor Visa e nos camarotes do Palestra Itália no último sábado para apresentar a nossa estreia no Paulistão. É uma espécie de guia pré-jogo, algo comum em qualquer país da Europa e nos EUA e que agora chega aos estádios dos quatro grandes paulistas (como parte das ações do G4). Acontece que, como dito antes, a tal revista foi distribuída apenas no Setor Visa e nos camarotes. A tiragem, dizem, é de seis mil exemplares, mas, a julgar pela ocupação do Visa, não mais do que mil devem ter chegado ao público.

Fica então a pergunta: por que a distribuição tão limitada? Ou melhor: por que a arquibancada foi excluída?

Eu não tenho uma resposta definitiva, mas a versão que mais ouvi pelas alamedas do Palestra dá conta de que foi uma determinação da Polícia Militar. É provável que seja isso mesmo, visto que o incompetente 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar sabe apenas criar proibições e restrições idiotas, entre as quais a de não permitir que o torcedor entre no estádio com jornais, revistas ou livros.

É tamanha a inaptidão dos nossos coxinhas (sugiro a comparação com o que acontece nos estádios cariocas) que tudo o que eles sabem fazer é proibir – e os estádios ficam tal como estão. Pior ainda é o preconceito que fica nas entrelinhas: "Quem vai de camarote ou de Visa é civilizado e pode receber a revista. Quem vai de arquibancada é bandido e pode usar o papel para provocar um incêndio". É isso, me desculpem.

Poupá-los-ei de comentários jornalísticos e de críticas ao conteúdo, aos textos ou à diagramação do tal "Match Day". Não é o caso. O que eu destaco é o artigo escrito (?) pelo senhor Paulo Castilho, o nosso amigo promotor público. Pois é, a tal revistinha não chega ao torcedor de arquibancada, mas vem com um recado para nós, direto do sujeito que tem se colocado como maior inimigo da coletividade palestrina desde 2006.

Vamos ao texto na íntegra e depois aos comentários:

CHEGA DE VIOLÊNCIA
*Paulo Castilho


Há quatro anos acompanho o futebol de perto, por conta de minhas atribuições como promotor público. Tenho apreço pela torcida palmeirense, que costuma fazer do evento esportivo uma festa inigualável no Palestra Itália.

Fico profundamente decepcionado com a postura da torcida organizada. Muitos de seus integrantes são pessoas do bem, querem fazer as coisas certas e defendem a paz. Entretanto, uma minoria vem causando problemas.

Infelizmente, todos os atos de violência e vandalismo em 2009 tiveram as participações de membros de organizadas em geral. Tenho tentado numa política pública/privada orientá-los e, com isso, diminuir a violência.

Alerto que o cerco em torno das organizadas está se fechando, e que o verdadeiro malandro hoje é aquele que faz tudo certo. Não adianta se fazer de vítima, o mundo do futebol está atento contra os que prejudicam o espetáculo.

Se você pertence a Mancha ou a TUP, trate de se acertar. Se é torcedor comum, faça a sua parte, tenha um comportamento dentro da desportividade. Seja educado e denuncie quem promove a desordem ou coloca a sua vida e a do clube em risco.

Os torcedores não devem interferir na administração do clube, que por sua vez não deve ter relação promíscua com a torcida. Isso dificulta o trabalho de pacificação no futebol.

Dirigentes e jogadores, sejam profissionais, não incitem a violência por meio de gestos ou declarações polêmicas. Para fazer de um jogo um entretenimento de fato, no qual a paixão é declarada sem desrespeito ao direito dos outros, todos precisam colaborar.

Chegaram ao final? Vamos lá então:

"Tenho apreço pela torcida palmeirense..."
Tem certeza, Castilho? Que tal confrontar o seu proclamado apreço a algumas de suas atitudes contra o Palmeiras, contra o seu estádio e contra o seu torcedor? Aqui vai uma pequena amostra:
06.02.2007: Brigas, mentiras e consequências
15.04.2008: Da primeira à última
22.04.2008: Fábrica de factóides
05.05.2008: Os verdadeiros bandidos
02.07.2008: A Mancha, o Hamas e o promotor
19.02.2009: Blindagem garantida
02.03.2009: Quem é mais sujo?
17.04.2009: Ronaldo, a Brahma e os recalcados
25.05.2009: Os verdadeiros bandidos (2)
17.07.2009: Sobre guerreiros e micareteiros
31.08.2009: Um clássico e nada mais
28.11.2009: Belluzzo, o futebol e os recalcados
10.12.2009: Sobre cerveja e futebol

"... que costuma fazer do evento esportivo uma festa inigualável no Palestra Itália."
Ah é? Mas por que é que você decidiu reprimir a nossa festa na final do Paulista/2008? Por que mandou os policiais subirem na arquibancada e descerem a porrada logo no momento em que a torcida fazia a festa por um título que não vinha há muito tempo? Por que, Castilho? Teria isso algo a ver com a sua, digamos, predileção por aquele clube da zona sul que é logo o nosso inimigo histórico? Teria algo a ver com o fato de você já ter sido visto deixando o estádio do Jd. Leonor em companhia de torcedores/consumidores do SPFW? Ou é tudo coincidência?

"Fico profundamente decepcionado com a postura da torcida organizada."
Fiquei até com pena depois do desabafo acima...

"... o verdadeiro malandro hoje é aquele que faz tudo certo."
E isso quer dizer o que exatamente?

"Se você pertence a Mancha ou a TUP, trate de se acertar."
É pra levar a sério essa frase/ameaça?

"Se é torcedor comum..."
Tomando por base o erro conceitual no início da frase, nem é preciso seguir adiante na análise.

"Seja educado e denuncie quem promove a desordem ou coloca a sua vida e a do clube em risco."
Castilho, vejam os senhores, incentiva a denúncia de torcedores contra torcedores. Coisa bonita, não? Mas pior que isso é o final da frase: existe alguém que pode colocar em risco a vida de um clube? Tipo "o clube tal foi assassinado"? Como seria isso, Castilho?

"Os torcedores não devem interferir na administração do clube..."
Para começar: quem é o promotor para definir o que os torcedores devem ou não fazer na relação com seus clubes? E, neste caso específico, é evidente que os torcedores devem interferir na administração do clube. O clube, afinal, só existe por causa dos torcedores.

"Isso dificulta o trabalho de pacificação no futebol."
Pacificação? Tá se achando o herói, né?

"Para fazer de um jogo um entretenimento de fato..."
Errado! Futebol não é entretenimento!

Como os senhores devem ter notado, deixei de usar neste post o adjetivo normalmente atribuído ao nosso amigo promotor. É que isso fica tão claro que eu nem preciso ficar lembrando quem é quem. Apenas ressalto que teremos eleições em 2012.

***

Grande análise do Seo Cruz sobre o bizarro e odioso caso Barueri de Presidente Prudente/MS.

23 comentários:

Renato disse...

Tenho certeza que esse corno manso se elege....infelizmente.

claudinei rockwood disse...

Meu sincero e efusivo cumprimento ao forza palestra pelo texto mencionando o promotor.Um belo texto que merece ser lido 2,3,4 vezes, que fase em companheiro!!!

Fico lisonjeado por enaltecer minha humilde nomenclatura perante para com os leitores desse conceituado e respeitadissimo blog,muito obrigado

''Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos''.(C.Rockwood)

Diego disse...

Nesse grande manicômio social que se transformou o 'futebol moderno', o promotor se vê como o chefe dos psiquiatras. Coitado! Mal sabe ele que é um dos doentes mais atormentados do hospício!

George disse...

A revista também foi distribuída nas cadeiras descobertas. Pensei que tivesse sido distribuída em todo o estádio. Achei estranho a matéria com o tal promotor, visto o histórico dele em relação ao nosso clube.
O clima de festa nos estádios cariocas é muito diferente do clima de igreja que se transformaram os estádio de SP. Alguma coisa está errada. Proibir revista pré-jogo lembra os anos de chumbo da nossa história.
Abraços

Rafael disse...

Mano, esse cara tá louco..

ele acho que é o gerente geral do futebol paulista...que pode ditar as regras de comportamentos de torcedores...

ele deve ter tomado muita cagibrina com seu amigo jj scotch whisky antes de escrever isso...só pode...

o pior, nao sei se vc viu....no maracana só vende ingressos até a véspera do jogo...se o caboclo decidir ir ao estádio no mesmo dia o jogo ta fudido...

abraços pilantra

PS: folhas de revista, se manuseadas incorretamente, podem causar cortes lacerantes...não seja tão severo com nosso amigo promotor
ele só quer o nosso bem

Luiz disse...

Ilustre Barneschi,

Concordo em termos com o seu texto e, se me permite, serei aqui uma espécie de advogado do diabo em relação ao Promotor.

Há tempos mudei minha visão em relação às TOs e, talvez por isso, concorde com parte do que o representante do MP.

Sei que vai achar que estou louco, mas vamos lá:

1 - Quero deixar claro que não gosto dele e entendo que ele não faz nenhuma ideia de como funciona uma torcida, nem o que move a arquibancada;

2 - Independente disso, creio que se trata de uma política de isolamento que se faz necessária. Não por você, mas para evitar que a coisa fuja mais ainda do controle;

3 - A primeira parte do texto trata de mera cordialidade, por isso não darei destaque;

4 - Quanto à administração do clube, também acho que o torcedor pode protestar pois o clube é dele. Contudo é fundamental que se instaure limites, entre o protesto e a agressão ao clube e, em especial, evitar que aqueles que não se interessam realmente pelo bem do clube, utilizem-se destes momentos para se locupletar;

5 - Na continuação do texto, acho que o promotor traduziu o meu pensamento exposto acima: "que por sua vez não deve ter relação promíscua com a torcida";

Bom, como você viu minha concordância com o texto é bem pontual. Quanto ao entretenimento, concordo inteiramente com o senhor.

Abraço,

Luiz

Nicola disse...

Traduzindo, ele quer que o estádio se torne um cinema...

Aquela final e semifinal do Paulista/08 mostra como é filho da puta esse cara, Mancha e Independente haviam sido banidas daquele campeonato, não podendo entrar com faixas, bateria etc dentro do estádio.

Nos dois jogos da semifinal, os bambis usaram sinalizadores, chega na final a torcida do Palmeiras faz a mesma coisa e chega a polícia metendo porrada em todo mundo, até fora do estádio, sem nenhum motivo mesmo, queriam apenas comemorar...

E essa aqui foi um absurdo: "Dirigentes e jogadores, sejam profissionais, não incitem a violência por meio de gestos ou declarações polêmicas."

VAI TOMAR NO SEU CU! Bicha maldita, pare de estragar o futebol!

Daniel disse...

to dando risada com esse texto do promotor.....

Anônimo disse...

Pra vocês verem como só tem frouxo em nossa diretoria! O cara imprimiu uma revista, cheia de ameaças e recadinhos explicitos ao PALMEIRAS, e sua torcida, e qual a reação dos nossos diletos dirigentes? Nenhuma!!!Por isso somos esculachados na midia!! Nos falta pessoas de pulso para combater com força e repudio este tipo de gente!! Infelizmente, não temos essas pessoas no comando! O Beluzzo não pode se envolver com isso, porém, ele reluta em colocar a frente do futebol, um dirigente bem mala, brabo, respondão,e que saiba lidar com a imprensinha e com aqueles que querem "mandar" em nossa casa. Só assim vamos "pacificar" a imprensinha e impor respeito aos nossos inimigos! Agora, esperar pulso firme e comando de Cipullo, Cecílio,Genaro,e Sáverio, é acreditar em papai-noel!!

Bruno D'Angelo disse...

Só uma pergunta : nos outros estádios em que jogaram os outros 3 times grandes - e especialmente no Panetone - essa revista foi distribuída com recadinhos diretos à cada uma delas?

Abraços,

Bruno D'Angelo.

Myself disse...

Caro Barneschi, fui barrado na entrada do Palestra sábado por portar 3 livros que minha namorada havia comprado num sebo momentos antes no centro da cidade.
Os homens de farda parecem robôs alienados, dizendo números infinitos de resoluções imbecis, apenas para prejudicar o torcedor. Só de lembrar que quase apanhei ao questionar o motivo da proibição e porque ele não me mostra a porra da lei que proibe a entrada com livros e cadernos.
Fica a pergunta:
E se eu venho direto da faculdade para o jogo, de transporte coletivo num jogo de quarta à noite, por exemplo. Devo jogar cadernos e apostilas fora? Isso é uma palhaçada sem tamanho.
enquanto isso, nossa festa perde cada vez mais a graça.
ACAB

Forza Palestra disse...

Meu caro "Myself",

O seu relato evidencia bem o cenário vivido hoje pelos torcedores de futebol neste país (e em especial no estado e na cidade de São Paulo). Já ouvi relatos anteriores de gente que não pôde entrar no estádio com livros ou cadernos da faculdade e eu mesmo já tive este problema - certa vez, vindo da faculdade, tive de deixar meu caderno escondido dentro de um matagal do clube para entrar no estádio.

Eu olho pra esses coxinhas do 2ºBPChoque e vejo um bando de animais, sempre prontos a dar porrada. Não há raciocínio, não há bom senso, não há respeito.

No caso dos livros, isso me lembra, com o perdão da viagem, "Indiana Jones e a Última Cruzada". Eles são como os nazistas, que queimam livros em praça pública. Só os tempos são outros; agora eles proíbem a entrada de livros nos estádios.

Abraços

Forza Palestra disse...

rockwood
Valeu! Repasso a pergunta feita por muitos dos leitores deste blog: quem é você?

George
Obrigado pela informação. Eu tive acesso à revista lá no clube, mas me disseram que a distribuição aconteceu apenas para o Visa e para os camarotes.

Rafa
No Rio, o problema tem mais a ver com o tal choque de ordem do Paes. Não sei o que é pior...

Luiz
Valeu, mano! A discordância e o debate de ideias fazem parte. Mas eu entendo que o promotor já deu mostras de que é nosso inimigo.

Bruno
Não tenho essa informação. Difícil descobrir de algum bambi, mas vou ver com amigos gambás, por conta do jogo de amanhã.

Abraços a todos

claudinei rockwood disse...

Se duvidam de minha veracidade eu sou claudinei josé rockwood, mineiro, estudante de filosofia na unimep, torcedor do galo e do xv de piracicaba

''O segredo da saúde da mente e do corpo está em não lamentar o passado, em não se afligir com o futuro e em não antecipar preocupações; mas está no viver sabiamente e seriamente o presente momento. ''(C.Rockwood)

Myself disse...

Então Barneschi, por sorte um amigo meu estava junto e me acalmou os nervos com relação a patifaria feita pelo homem de farda.
Quanto aos livros, quando perguntei pra ele o que faria, ele disse 'educadamente':
"Joga essa porra fora!"
Imagina só então, o nível intelectual do tal homem da lei pra dizer uma coisa dessas.
O pior de tudo, é que fui tentar passar com um outro policial, na ponta da entrada da Turiassu, que por incrivel que pareça tinha reparado no acontecido e ia deixando eu passar, quando o maldito que me barrou viu e aos berros disse: "Não dê atenção à ele, não sei o que ele ta fazendo aqui ainda, vaza logo!"
Fomos em busca de um lugar pra deixar o livro, quando enctramos um conhecido da MV ABC (salve Nô) e perguntou o ocorrido e se ofereceu pra ficar com a mochila já que não ia entrar no jogo.

Uma observação então:
Por que a diretoria não faz um 'guarda-volumes' pra evitar confusões?

Abraços e 'Myself' é só o nick da conta, pode me chamar de Yargo que é meu nome verdadeiro.

alexandre disse...

Estive no Maracanã nas ultimas rodadas, e assiti um jogo do Flor acompanhando minhas sobrinhas, fiquei feliz de ver que lá a puliça ainda permite a festa das bandeiras e alegorias nas bancadas,uma festa maravilhosa. já aqui em breve seremos proibidos de comemorar gols....

Rafael disse...

ooo barneschi
olha o camarada ai falando da festa das bandeiras...
lembra do post do mauro cezar pereira??

abs

Claudio Yida Jr disse...

Mano, de boa. Parei no "Há quatro anos acompanho o futebol de perto, por conta de minhas atribuições como promotor público."

Depois dessa...

Cesar - MV - ABC disse...

Pra vcs verem o quão ridículo eh a polícia de São Paulo, a mto tempo atrás estava eu resfriado, com uma puta gripe, mas com vontade de ir ao Jogo do PALMEIRAS como eh de costume msm, fui ao Jogo msm doente, chegando lah, estava com um punhado de papel higiênico no bolso para aliviar a ranheira que saía das narinas a cada 40 seg, pois bem, ao ser revistado dei o azar de pegar um querendo trabalhar (a maioria soh dá o velho tapinha na cintura), o cara pediu para eu mostrar o bolso e me disse que com papel higiênico não podia entrar!!!! Eh mole???? Não era nem um rolo, nem um final de rolo, era um pouco de papel dobrado que eu havia pegado para não ficar com o ranho pendurado no nariz, e o cara mandou eu jogar fora!!!! JURO QUE NÃO EH MENTIRA!!!! Não pude entrar com papel higiênico no Palestra Itália, se fosse caganeira ao invés de resfriado eu tava ferrado, e o coxinha ainda perguntou pra mim se eu tinha algum problema, disse que estava doente mas msm assim ele mandou jogar fora, me apontou uma lixeira que estava ali na entrada da Turiassú e tive que me desfazer do maligno e perigoso PAPEL HIGIÊNICO!!!! Mas depois fiquei pensando tbm, ateh que eu me dei bem, jah pensou se ele manda eu ir embora e me proíbe de entrar pelo bem da saúde pública???? Ainda bem que naquela época ainda não existia a gripe suína, pq senão, saía de lah preso....

João disse...

Patético. Se a média etária de nossa torcida fosse 6 anos, talvez o cara conseguisse nos manipular por meio desse texto...

Abraço.

Corinthiano disse...

Perfeito!
Entretenimento é cinema, teatro...
Esporte é natação, basquete...
Futebol é futebol, simples assim!

Vão pra puta que pariu, tô de saco cheio dessas atitudes outro dia um funcionário do TIMÃO nos chmaou de clientes... FODA

Clayton

pedro disse...

Pois é.

E eu já entrei junto com meu primo com um jogo de xadrês no Maracanã. Chegamos muito cedo, era Brasil e Chile (o jogo do rojão) e levamos um xadrês para passar o tempo. E ainda ouvimos os palpites da torcida carioca...

Mas pensando bem foi irresponsabilidade da polícia: já pensou se jogássemos o rei no Rojas?

Pedro.

Sergio Mendonça disse...

Prezado amigo. Ninguém quer perder o previlegio que tem, ou seja, o promotor jamais vai dizer que nada entende de futebol, de torcida e de estádio. Pois assim, com certeza teria de trabalhar em um lugar afastado na periferia de SP. Já a PM também não vai dizer que fazendo o mesmo serviço ha mais de 35 anos, com mais equipamentos, homens e claro mais verba, continua sendo totalmente ineficaz. Prevendo nos proximo meses, ano de Copa do Mundo, que o referido promotor e muitos oficiais da PM vão ser presentiados com um passeio para a Africa do SUL, para verificarem com os proprio olhos a segurança dos estádios durante o evento. Puxa, assim, ate eu ia escrever e fazer um "monte" de besteiras.